22°
Máx
16°
Min

Estudantes ocupam oito escolas estaduais em Londrina; governo pede reintegração

(foto: Bruno Amaral) - Estudantes ocupam oito escolas em Londrina; governo vai à Justiça
(foto: Bruno Amaral)

Subiu para oito o número de escolas estaduais ocupadas por estudantes em Londrina em protesto contra a medida provisória do governo federal que prevê mudanças no Ensino Médio, como a ampliação de 800 para 1,4 mil horas anuais.

Na manhã desta segunda-feira (10) foram ocupados o Colégio Aplicação, Hugo Simas e IEEL, no centro da cidade, Willie Davids, na Vila Casoni, Professora Maria José Balzanelo Aguilera, no Cafezal 4, somando-se ao Colégio Estadual Margarida de Barros Lisboa, Professora Vani Ruiz Viessi e Albino Feijó Sanches, primeira escola ocupada em Londrina na semana passada.

Durante o final de semana, os estudantes promoveram oficinas de danças, stencil, fotografia, entre outros. Eles também pedem doação de alimentos, cobertores, colchões, água, além de produtos de higiene e limpeza.

Reintegração

A Secretaria de Estado da Educação (SEED) encaminhou a documentação necessária à Procuradoria Geral do Estado do Paraná para que sejam solicitadas à Justiça as reintegrações de posse das escolas estaduais ocupadas pelos estudantes.
 
A Secretaria realiza ainda esta semana, dia 13 de outubro, seminários regionais por todo o Estado, com a participação de diretores, professores, estudantes e toda comunidade escolar. O objetivo é coletar sugestões que serão enviadas ao Ministério da Educação e ao Congresso Nacional para definir o posicionamento do Paraná sobre o tema.
 
Em relação à reposição, as escolas devem reorganizar o calendário escolar para garantir o cumprimento dos números mínimos de dias e horas previstos em lei para assegurar o ano letivo. A Lei de Diretrizes e Bases (LDB) prevê 200 dias e 800 horas/aulas.