22°
Máx
17°
Min

Foz está entre as 10 cidades do Paraná com melhores índices em escolas municipais

Divulgação - Foz está entre as 10 cidades do PR com melhores índices no Ideb
Divulgação

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015, divulgado nesta quinta-feira (8), mostra evolução na qualidade da educação do Paraná, apesar das escolas da rede pública não alcançarem todas as metas estabelecidas. Foz do Iguaçu, pela classificação geral do estado somando os 399 municípios, está entre as 10 cidades com melhores notas, junto com outros municípios.

Das 51 escolas municipais de Foz do Iguaçu, 41 participaram do estudo do Ideb, pois para realizar a prova a escola precisa ter pelo menos 20 alunos matriculados no 5º ano. Os alunos dessas 41 escolas fizeram a prova do Ideb e conseguiram demonstrar boa qualidade no ensino, o que resultou em nota 7.1 como nota geral do Ideb para Foz do Iguaçu.

Algumas das escolas apresentaram notas superiores do que a média, como é o caso da escola municipal Frederico Engel que teve nota 8.5, igual a nota da Escola Municipal Ariovaldo Moura, de Maringá, no norte, ambas tiveram a maior nota entre as avaliadas no ensino do 1º ao 5º ano.

Seis escolas municipais de Foz do Iguaçu se destacaram com notas acima de 8.0, são elas: Carlos Gomes com 8.0, Antonio Gonçalves Dias e Getúlio Vargas com 8.1, Santa Rita de Cássia com 8.3, Benedito Cordeiro com 8.4 e Frederico Engel com 8.5.

Outras 20 escolas municipais de Foz do Iguaçu obtiveram notas acima de 7.0, entre 7.0 e 7.9, e 14 escolas municipais ficaram com notas acima de 6.0, entre 6.0 e 6.9.

A nota do Ideb é composta pela nota da prova que o aluno faz mais a aprovação dele no final do ano. Em 2013, Foz do Iguaçu apresentou nota de 7.3 no Ideb, com aprovação de 98.66. Já neste ano, o resultado apontou que o município obteve nota geral de 7.1, com aprovação de 94.61, mas com proficiência maior, ou seja, a nota e o desempenho dos alunos na hora da prova foi melhor, de 7.4 para 7.5.

Para a professora e secretária municipal de Educação, Lisiane Sosa, esse resultado é fruto de todo trabalho continuado que vem sendo realizado na educação do município há vários anos, na capacitação e valorização do profissional, seja ele o professor em sala de aula como os gestores e coordenadores, no interesse provocado pelos alunos e no acompanhamento dos pais. 

“Temos investido muito na formação continuada para que tenhamos professores criteriosos e bem preparados para atender nossos alunos. Também importante destacar o trabalho já nos CMEIs que vem a resultar no desempenho mais tarde quando o aluno já está na fase do ensino fundamental. Se a criança já começa sendo bem atendida e ensinada desde pequena, quando chega no ensino fundamental ela estará melhor preparada e é o que vem sendo feito aqui”, destacou a secretária parabenizando toda a rede de ensino e aos professores da rede municipal pelo atual desempenho.

Levantamento Geral do Estado

De acordo com o levantamento, apenas os anos iniciais do ensino fundamental, do 1º ao 5º, tiveram desempenho acima do proposto pelo Ideb 2015. Nos anos finais do ensino fundamental, que vai do 6º ao 9º, e no ensino médio, as metas estabelecidas não foram alcançadas, mas houve aumento no índice.

Curitiba foi a capital do país com o maior índice do Ideb 2015, nos anos iniciais do ensino fundamental, com 6,3. Com meta estabelecida em 4,6, o Estado ficou perto, com índice 4,3. Dos 399 municípios, 386 foram avaliados e apenas 45 alcançaram a meta, o que corresponde a 11,7%. Mesmo não alcançando a meta, o ensino do 6º ao 9º ano apresentou melhoria, se comparado ao Ideb 2013, quando teve 4,1 pontos.

A escola mais bem avaliada foi o Colégio Militar de Curitiba, da rede federal de ensino, com Ideb de 7,7 pontos. O pior colocado foi o Colégio Estadual Wolff Klabin, de Telêmaco Borba, na região dos Campos Gerais, com índice 2,4.

Colaboração: Assessoria.