21°
Máx
17°
Min

Justiça acata pedido e concede reintegração de posse no Colégio Agrícola

(Foto: Arquivo Massa News) - Justiça concede reintegração de posse no Colégio Agrícola
(Foto: Arquivo Massa News)

A 1ª Vara da Fazenda Pública acatou o pedido da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e concedeu a reintegração de posse do Colégio Agrícola Augusto Ribas, em Ponta Grossa. Ocupado por pelo menos 30 estudantes desde a última terça-feira (11), o colégio era uma das 22 instituições de ensino da cidade que se tornaram palco de protestos contra a medida provisória (MP) 746/2016, que prevê mudanças curriculares no Ensino Médio.

A decisão foi divulgada ainda no início da noite de ontem, mas os alunos ainda não foram notificados. O portal Massa News tenta entrar em contato com a chefe do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Ponta Grossa, Maria Izabel Vieira, para saber as providências que serão tomadas.

Conforma a decisão judicial, assinada pela juíza Jurema Carolina da Silveira Gomes, a reintegração foi concedida porque em assembleia, 90% dos alunos decidiram pela não ocupação. “No entanto, mesmo assim, o professor Mauro e alguns alunos do primeiro ano do ensino médio, ocuparam o prédio não deixando os demais alunos retirarem o material escolar, os quais tiveram que recolher os materiais que foram jogados pela janela”, destaca o documento.

Outras 21 instituições, de acordo com o movimento Ocupa Paraná:

  • C.E. 31 de Março
  • C.E. Ana Divanir Borato
  • C.E. Arnaldo Jansen
  • C.E. Colônia Dona Luiza
  • C.E. Elzira de Sá
  • C.E. Epaminondas Ribas
  • C.E. General A. Sampaio
  • C.E. João Borell D. Vernay
  • C.E. José E. da Rocha
  • C.E. José Gomes do Amaral
  • C.E. Julio Teodorico
  • C.E. Linda S. Bacila
  • C.E. Meneleu Torres
  • C.E. Nossa S. da Glória
  • C.E. Nossa S. das Graças
  • C.E. Pietro Martinez
  • C.E. Polivalente
  • C.E. Presidente Kennedy
  • C.E. Professor Colares
  • C.E. Regente Feijó
  • C.E. Sirley Jagas

Nos Campos Gerais

Além das 20 instituições ocupadas no Paraná, outras cidades dos Campos Gerais também registram manifestações. Em Carambeí, foram ocupados os colégios estaduais Julia Wanderley e Carlos Ventura. O município de Castro também tem duas ocupações registradas no colégio Antonio e M. Cavanis e no Major Vespasiano C. Mello.

Outras três instituições em Sengés também foram palco de protestos: Anita Salmon, Costa e Silva e Erasmo Braga. Piraí do Sul e Palmeira registram uma ocupação cada, nos colégios Jorge Q. Netto e Getúlio Vargas, respectivamente.