23°
Máx
12°
Min

Mudança para o Jardim Universitário dá novo estímulo à comunidade acadêmica

Foto: Assessoria de imprensa - Mudança para o Jardim Universitário dá novo estímulo à comunidade acadêmica
Foto: Assessoria de imprensa

A mudança da Unila do Centro para o Jardim Universitário deu novo estímulo a estudantes, docentes e técnico-administrativos do Instituto Latino-Americano de Arte, Cultura e História (ILAACH).

O prédio do Jardim Universitário, que era compartilhado com a Uniamérica e abrigava os cursos de Saúde Coletiva, Ciências Biológicas e Medicina da Unila, passou a ser de uso exclusivo da Universidade Federal desde janeiro.

Todos os móveis e equipamentos que estavam na Unidade Centro foram transferidos, e novos foram instalados para abrigar o ILAACH e os quatro cursos do Centro Interdisciplinar de Ciências da Vida, ligado ao Instituto Latino-Americano de Ciências da Vida e da Natureza (ILACVN).

Agora, a Unidade Jardim Universitário abriga perto de 1.200 alunos, de 11 dos 29 cursos de graduação da UNILA. O complexo conta com 19 mil m² de área construída, divididos em três blocos.

São 44 salas de aula, espaços administrativos, biblioteca, salas de reuniões, salas de professores, almoxarifado e auditório com capacidade para 450 pessoas.

Além disso, os laboratórios já instalados e outros que ainda serão implantados irão ocupar 70 salas.

Passados quase 30 dias do início do semestre letivo, as salas de aula e administrativas estão montadas e funcionando, mas o prédio ainda precisa de algumas adaptações, como finalização da instalação de aparelhos de ar condicionado, pintura da fachada - que está recebendo as cores da Universidade - e sinalização.

“À medida que vamos ocupando e vivendo neste espaço, vamos identificando as necessidades e, aos poucos, fazendo o que é preciso”, aponta Ivania Ferronato, assessora da Reitoria na administração do Jardim Universitário.

Compartilhando espaços

Mas nem mesmo os poucos detalhes que precisam de ajustes tiram o entusiasmo com a nova casa.

“O fato de os cursos estarem juntos em um campus nos traz outra dinâmica de trabalho, de contato, de interação entre estudantes e professores e isso faz a nossa rotina ficar mais agradável”, ressalta o docente do curso de Cinema e Audiovisual, Dinaldo Filho.

No novo campus, espaço é o que não falta.

“É muito diferente. Temos mais estrutura, mais espaço, mais áreas verdes onde as pessoas podem sentar-se e conversar. Está superlegal”, afirma a estudante Marcelle Andrade, que está no último ano de Antropologia - Diversidade Cultural Latino-Americana.

Mais estrutura

A Biblioteca do Jardim Universitário, que antes atendia apenas aos cursos da área da Saúde, cujas aulas já eram no local, agora tem seu acervo à disposição dos alunos dos cursos do ILAACH.

Na Unidade Centro, os livros chegavam aos estudantes por malote ou era necessário deslocar-se até o PTI. A frequência à Biblioteca tem aumentado diariamente, constata o bibliotecário João Vitor Vieira Gelinski.

“Os alunos que estavam no Centro ainda não reconheciam a Biblioteca como um espaço deles. Aqui, vejo que já reconheceram como um território deles também. A adesão é a fotografia mais clara de que a comunidade acolheu e tomou posse da Biblioteca”, diz.

Para ele, o resultado com a mudança está acima do esperado.

“O impacto geral é surpreendentemente mais positivo do que se esperava. Foi apostado na mudança porque se acreditava que seria positiva, mas tem superado as expectativas”.

Colaboração: Assessoria de imprensa