24°
Máx
17°
Min

Professora da UEL ganha prêmio em Universidade dos EUA

(foto: UEL/Divulgação) - Professora da UEL ganha prêmio em Universidade dos EUA
(foto: UEL/Divulgação)

A Professora Renata Gonçalves Curty, do Departamento de Ciência da Informação, do CECA, recebeu este mês prêmio de melhor tese (Doctoral Dissertation Award 2015-2016) pela Syracuse University, tradicional instituição de ensino, localizada no estado de Nova Iorque, EUA. O trabalho da professora se destacou pela magnitude do tema, uma vez que ela levantou observações sobre o comportamento de pesquisadores norte-americanos sobre o reuso de dados científicos.

A professora foi bolsista pelo convênio Fulbright/CAPES durante seu doutoramento em Information Science & Technology pela School of Information Studies, daSyracuse University. Renata explicou que existe um movimento para que os dados acadêmicos sejam disponibilizados em arquivo bruto, desde que estas informações estejam depositadas em repositórios de acesso aberto. O objetivo é evitar duplicidade de trabalhos científicos, garantindo transparência e trazendo racionalidade nos investimentos em ciência e tecnologia.

Em sua pesquisa Renata Curty realizou um estudo qualitativo entrevistando pesquisadores da área das Ciências Sociais. Inicialmente a pesquisadora identificou vinte e oito fatores, que foram agrupados em seis categorias, detalhando o comportamento sobre reuso de informações científicas. A partir daí, ela criou um modelo e testou com quatro mil pesquisadores norte-americanos, que demonstravam, dentre outros aspectos, barreiras para a utilização de dados científicos depositados nos repositórios.

Deste universo, cerca de mil pesquisadores retornaram. As respostas convalidaram a hipótese levantada no início do trabalho, que indicou elementos significativos, porém, benéficos para o reuso de dados. "Os pesquisadores desconfiavam que o reuso poderia desvalorizar o trabalho, mas um mesmo dado pode ter várias aplicações, desde que exista ética e transparência", opina Renata.

De volta ao Departamento de Ciências da Informação da UEL, a professora mantém a participação em um grupo de pesquisas nos Estados Unidos e já formalizou um projeto na área. Ela pretende desenvolver o que se chama publicação expandida, ou seja, utilizar arquivos multimídia em publicações científicas, com o objetivo de modernizar e melhorar a compreensão por parte do leitor. A proposta é utilizar como modelo a Revista Semina Ciências Agrárias, da UEL, publicada desde 1978. O projeto tem potencial de alcançar posteriormente outras publicações científicas.

(com informações da Agência UEL)