22°
Máx
17°
Min

Professores da UEPG dão início à greve da categoria

(Foto: Divulgação) - Professores da UEPG dão início à greve da categoria
(Foto: Divulgação)

Aproximadamente 8 mil alunos da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) por conta da greve dos professores, aprovada em assembleia no dia 6 de outubro e deflagrada na manhã desta quinta-feira (13). Os professores protestam contra o envio de uma emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2017, encaminhada pelo Governador Beto Richa à Assembleia Legislativa, tornando sem efeito a Lei 18493/2015, editada ao fim da greve de 2015, que prevê a reposição das perdas inflacionárias.

De acordo com a Seção Sindical dos Docentes da UEPG (Sinduepg), a proposta retira a garantia de reposição das perdas inflacionárias de 2016, marcada para janeiro do próximo ano, além de 1% referente a perdas de 2015. Os professores argumentam ainda que a proposta também não contempla o retorno da Data-Base que na lei está previsto para maio do próximo ano, com o pagamento da reposição das perdas inflacionárias de janeiro a maio de 2017. Segundo a emenda, os salários dos servidores não serão corrigidos, sofrendo perdas significativas e sem nenhuma previsão concreta de recuperação futura.

Conforme o sindicato, a adesão nesta quinta-feira chega a 98%. Pela manhã, foram realizadas panfletagens no campus central e de Uvaranas. Às 14h e às 19h, haverá reunião entre os estudantes e professores do curso de Letras, no hall do Bloco C. O Comando de Greve se reúne na sede do Sinduepg às 15h30 para discutir a sequência do movimento.

Colaboração Assessoria Sinduepg.