24°
Máx
17°
Min

Unioeste deve abrigar projeto piloto de permacultura urbana

A comitiva formada em torno do projeto piloto deve se reunir em quinze dias (Foto: Assessoria de imprensa) - Unioeste deve abrigar projeto piloto de permacultura urbana
A comitiva formada em torno do projeto piloto deve se reunir em quinze dias (Foto: Assessoria de imprensa)

Transformar a vida da cidade, das pessoas e de todo o meio-ambiente com soluções sustentáveis, essa é a essência e a finalidade da permacultura urbana, tema que reuniu na manhã de ontem (03) técnicos da área de agricultura e biologia, professores da Unioeste, ativistas sociais, o vereador Nilton Bobato (PCdoB) e o Diretor do campus Foz, Fernando José  Martins para dar andamento a um sonho antigo semeado por muitas pessoas na cidade: desenvolver um projeto piloto de permacultura urbana na cidade que é ícone da diversidade natural. 

A ideia que chegou até o mandato de Bobato, ainda em 2011, trazida com muito entusiasmo pelo agrônomo Nilton Maggioni e pela doutora em biologia, Anne Sophie Bertrand, ambos ativistas da Rede Verde, começa a ganhar consistência com o envolvimento da Unioeste, que, por iniciativa do Professor Fernando, desenvolverá um projeto piloto de permacultura no entorno da instituição de ensino superior.

 A ideia, segundo Fernando, já foi apresentada à prefeitura com vistas a buscar suporte e consiste em transformar a área adjacente em uma horta orgânica feita com soluções sustentáveis, envolvendo a comunidade acadêmica e moradores da região. 

A proposta do projeto piloto na Unioeste materializa a luta travada desde 2011 pelo mandato em conjunto com os ativistas que resultou em um projeto de permacultura com objetivos sustentáveis, sociais e humanos.

“Precisamos de um exemplo na cidade para que consigamos transformar a ação em política pública para toda a cidade, essa é a essência do projeto que estamos lutando há quase cinco anos”, enfatizou Bobato.

A doutora em biologia, Anne Bertrand, traduziu em palavras o sentimento diante do andamento do projeto de permacultura urbana e conceituou a proposta. “Permacultura é um estilo de vida, uma necessidade de se conectar com um pensamento não linear, com a terra que nos dá tudo”.

As diretrizes fazem parte de uma minuta de projeto de lei que prevê a transformação das áreas ociosas urbanas em hortas orgânicas, cuja manutenção seria feita por pessoas que estariam desempregadas e passariam por capacitação técnica da prefeitura.

Conforme a matéria original, a prefeitura poderia adquirir a produção de orgânicos dos produtores locais, gerando renda e resolvendo um problema bastante atual: a baixa oferta de orgânicos no município.

“O município tem a obrigação de adquirir no mínimo 30% da receita com alimentação orgânica e por meio da compra direta com o produtor”, explicou Bobato. Nesse sentido, o projeto piloto da Unioeste daria o pontapé para que a ideia seja replicada em toda a cidade.

Na reunião também foram discutidos os desafios para implantação do projeto piloto e lançada a ideia de um projeto ainda maior que prevê a transformação da Unioeste em referência de Universidade Sustentável.

“O objetivo é transformar a Unioeste em Universidade Sustentável com práticas sustentáveis, com um restaurante-escola que utilize a produção de orgânicos, com jardins sustentáveis, com o envolvimento da academia para produção, pesquisa e aplicação do conhecimento na própria instituição”, projetou Fernando.

As perspectivas foram prontamente aceitas pelo professor de direito ambiental, Júlio César Garcia, que conduz um Centro de Estudos de Sustentabilidade na universidade com vistas propor práticas sustentáveis no local.

“É muito importante que a Universidade tenha exemplos práticos de sustentabilidade, vimos desenvolvendo propostas de trilha para caminhada, jardins e diversas oficinas sobre o tema”.

O professor Hayrton de Andrade, também ligado à temática, que já participou de experiências de práticas de permacultura em Cascavel, o projeto é viável. “Acho fantástico trazer para a Universidade. É possível”.

A comitiva formada em torno do projeto piloto deve se reunir em quinze dias. Até lá, vão estudar os pormenores da proposta, buscar mais parceiros e estipular um planejamento para execução da proposta.

Permacultura

A permacultura é um sistema de desenho ambiental fundado em éticas e princípios que podem ser usados para estabelecer, desenhar, coordenar e melhorar todos os esforços feitos por indivíduos, lugares e comunidades que trabalham para um futuro sustentável.

Em Foz do Iguaçu, a residência chamada de “Morada da Lua”, localizada no loteamento Mata Verde, representa o conceito de permacultura urbana, que integra vários elementos sustentáveis que vão desde a horta orgânica à bioconstrução.

Colaboração: Assessoria de imprensa