27°
Máx
13°
Min

Universidade Estadual de Maringá se manifesta contra reforma do Ensino Médio

Posição foi tomada durante fórum (Foto: UEM) - UEM se manifesta contra reforma do Ensino Médio
Posição foi tomada durante fórum (Foto: UEM)

Um fórum realizado na Universidade Estadual de Maringá (UEM), nessa segunda-feira (10), resultou em um documento aprovado pelo Conselho Universitário (COU), em que a instituição se manifesta contra a reforma do Ensino Médio pelo uso da medida provisória assinada pelo presidente Michel Temer (PMDB).

O documento de três páginas pede a volta do debate sobre a reforma, pois a universidade acredita que a MP não permite uma discussão mais profunda a respeito do assunto. A UEM concorda que o Ensino Médio precisa ser repensado, mas critica as propostas do governo federal pelo fato de alterarem profundamente a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e de não terem sido submetidas para reflexão com os envolvidos.

Na avaliação do Fórum, endossada pela universidade, a MP 746/2016 desconsidera o Projeto de Lei 6840/2013, que passou por um amplo debate e participação da sociedade. O fórum também expressou preocupação sobre alguns pontos que considera obscuros. Uma das dúvidas é se todas as escolas de nível médio funcionarão em tempo integral.

Os participantes entendem que o fim da obrigatoriedade de algumas disciplinas no Ensino Médio, como filosofia e sociologia, e a exclusão de outras, notadamente artes e educação física, torna evidente um projeto de sociedade que não estimula a autonomia dos indivíduos por meio da reflexão e da criatividade.

"A comunidade universitária não pode apoiar uma proposta educacional que signifique um retrocesso em termos de formação do indivíduo", diz um trecho do documento, cujo teor pode ser lido, na íntegra.

Colaboração Assessoria de Imprensa