22°
Máx
14°
Min

Abdeslam, suspeito dos ataques em Paris, é transferido para a França

O principal suspeito dos ataques em Paris Salah Abdeslam, o fugitivo mais procurado da Europa até a sua captura na Bélgica no mês passado, foi transferido nesta quarta-feira para a França para que ele possa comparecer perante juízes que vão decidir como acusá-lo, disse a Procuradoria da França.

Os promotores afirmam que Abdeslam, que foi preso na Bélgica no mês passado depois de quatro

meses em fuga, foi fundamental na coordenação logística nos ataques de 13 de novembro que mataram 130 pessoas em Paris em uma casa de shows, cafés e em um estádio de futebol.

O grupo Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelos ataques. A transferência rápida ocorreu em segredo e surpreendeu até mesmo o advogado, Frank Berton, de Abdeslam na França, que se apressou para se encontrar com seu cliente no Palácio da Justiça.

Frank Berton, que informou que representaria Abdeslam - um francês de 26 anos de origem marroquina, - antes de sua transferência, disse que seu cliente estava "pronto para cooperar" e que seu cliente quer falar e "tem coisas a dizer e explicar sobre seu caminho à radicalização", bem como o seu papel nos ataques. No entanto, ele não assumiu a responsabilidade pelos outros. "Isso significa que será julgado pelos fatos e atos que ele cometeu, mas não pelos que ele não cometeu só porque ele é o único sobrevivente dos ataques", disse Berton.

Após os ataques em Paris, Abdeslam fugiu para Bruxelas, na Bélgica, onde foi capturado quatro dias antes dos ataques no aeroporto e em uma estação da cidade no dia 22 de março, quando 32 pessoas morreram. O grupo Estado Islâmico também reivindicou a responsabilidade por esses ataques. Fonte: Associated Press.