22°
Máx
14°
Min

Aeroporto de Bruxelas ficará fechado até amanhã, mas metrô volta aos poucos

O aeroporto de Zaventem em Bruxelas, capital da Bélgica, informou nesta quarta-feira que permanecerá fechado para passageiros pelo menos até amanhã, antes do início do movimentado fim de semana de Páscoa. Enquanto isso, o transporte público da cidade começa a retomar suas operações aos poucos, mas com fluxo e horário limitado.

Autoridades do aeroporto disseram que esta medida cancelaria cerca de 1.200 voos entre hoje e amanhã. Isso significa que, desde os ataques no aeroporto na manhã de terça-feira, cerca de 180 mil passageiros tiveram suas viagens interrompidas.

Anteriormente, o aeroporto de Bruxelas informou que esperava retomar os voos de carga hoje, mas nada foi confirmado até o momento.

A Sociedade Nacional de Ferrovias Belgas (SNCB) disse que as três principais estações de Bruxelas - Midi, Central e Nord - estavam abertas, mas estavam com acesso limitado, forte monitoramento e controles. No entanto, as estações Congrès, de Chapelle, Mérode, Delt e Schuman continuam fechadas.

Mais cedo, às 8h de Brasília (12h no horário local), cidadãos de Bruxelas fizeram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas dos atentados no aeroporto e na estação de metrô que deixaram ao menos 31 mortos e 274 feridos.

Autoridades, escolas e moradores marcaram o momento em um clima de ansiedade, desafio e medo - de que outras pessoas envolvidas nos ataques ainda estejam entre a população.

"Convido a população a observar um minuto de silêncio em homenagem às vítimas dos atentados terroristas de 22 de março", disse o chefe de Governo da região de Bruxelas, Rudi Vervoort.

O rei e a rainha da Bélgica, Philippe e Mathilde, assim como o primeiro-ministro Charles Michel participaram da cerimônia no chamado "bairro europeu", onde ficam as instituições europeias, e perto do local onde ocorreu o ataque na estação de metrô Maalbeek, informou o comunicado do Palácio real.

O papa Francisco também levou milhares de pessoas a fazerem uma oração silenciosa pelas vítimas dos ataques. No final de sua audiência pública na Praça de São Pedro nesta quarta-feira, o papa expressou sua proximidade com as "pessoas belgas queridas" e pediu à multidão de peregrinos e turistas "se juntar a ele silenciosamente em oração".

Ele também pediu para que "todas as pessoas de boa vontade se unam à condenação de ataques que causam morte, horror e tristeza". Fonte: Associated Press