20°
Máx
14°
Min

Alemanha investiga suspeito preso em Düsseldorf

Berlim, 25 (AE) - Autoridades alemãs disseram nesta sexta-feira que não há evidências concretas de que o homem detido em Düsseldorf depois dos atentados terroristas em Bruxelas tenha qualquer ligação com os extremistas que efetuaram os ataques na capital belga e em Paris.

Conforme promotores de Düsseldorf, o cidadão alemão de 28 anos foi preso na quinta-feira por roubo, mas também é investigado por suspeita de planejar um ato de violência. Na manhã desta sexta-feira, a revista Der Spiegel reportou que o suspeito teria sido levado para Amsterdã por autoridades turcas no verão passado, junto com um dos irmãos El Bakraoui.

Frank Scheulen, porta-voz da polícia da Renânia do Norte-Vestfália, disse à emissora N-tv que autoridades procuram indícios de que o homem tenha ligações com o Estado Islâmico. Ele acrescentou, contudo, que "no momento não há evidências concretas de que esta pessoa tenha contatos com a cena em Bruxelas, Paris ou qualquer outro lugar".

O ministro do Interior, Thomas de Maiziere, confirmou nesta sexta-feira a morte de uma cidadã alemã nos atentados terroristas que ocorreram na última terça-feira na capital belga. Ela prometeu que a Alemanha "não descansará até que os assassinados e aqueles que os ajudaram sejam responsabilizados".

A mulher foi identificada como Jennifer Scintu Waetzmann, uma técnica do club de handebol de Aachen. "Meus pensamentos estão com os parentes da jovem, assim como com os familiares de muitos que foram feridos ou mortos em 22 de março", disse Maiziere. "As autoridades belgas podem estar certas do nosso suporte", acrescentou.

O jornal alemão Bild citou o tipo de Jennifer, Claudio Scinto, dizendo que ela e seu marido estavam no balcão de check-in da American Airlines no Aeroporto de Bruxelas, aguardando voo para Nova York quando a bomba explodiu. O marido, Lars

Waetzmann, está entre os feridos nos atentados de Bruxelas. Fonte: Associated Press.