22°
Máx
16°
Min

Após fim da trégua, Assad intensifica bombardeamento a rebeldes de Alepo

Uma campanha intensa de bombardeamento atingiu distritos controlados por grupos rebeldes em Alepo, a maior cidade da Síria, atingindo diversas regiões e centros do grupo de voluntários da defesa civil conhecidos como Capacetes Brancos.

A ofensiva de artilharia foi anunciada pelo governo após os esforços diplomáticos para aplicar o cessar fogo fracassaram após uma semana, levando a novos níveis de violência. Residentes e ativistas afirmam que o nível bombardeio não tem precedentes e atingiu áreas residenciais, a infraestrutura da região e centros de defesa civil. Algumas ruas estão fechadas devido ao volume de escombros.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, ao menos três pessoas morreram e outras 30 ficaram feridas.

Ibrahim Alhaj, membro da Defesa Civil síria, afirmou que ao menos dois centros de defesa civil foram atingidos no bombardeio, que geralmente começa ao anoitecer. Na manhã da sexta-feira, um centro da vizinhança de Ansari, no sul do distrito rebelde, ficou sem poder operar após os estragos causados pelo ataque. Ambulâncias e veículos de bombeiros foram danificados. Em outro centro, disse Alhaj, uma bomba caiu no quintal de um centro de defesa civil.

"Realmente é crítico. (A força aérea de Assad) direcionou seus ataques diretamente a esses locais", disse.

Outro moradores da cidade afirmam que uma das duas estações de água que abastecem a cidade foram atingidas. Uma estação de televisão ligada ao governo, a Addounia TV, culpou grupos armados por atingir a estação de distribuição de Bab al-Nairab, que alimenta os dois lados da cidade conflagrada. Não foi possível verificar independentemente a extensão dos danos ou quem a atingiu.

A campanha aérea se seguiu a um anúncio feito na noite pelo comando militar responsável por Alepo, dizendo que iria lançar novas operações para tentar unificar a cidade sob o comando do presidente Bashar Assad. Fonte: Dow Jones Newswires.