22°
Máx
16°
Min

Após um mês, forte terremoto de magnitude 6,7 volta a atingir o Equador

Um forte terremoto de magnitude 6,7 atingiu o Equador nesta quarta-feira, perto de uma área na costa do Pacífico, um mês após o tremor de magnitude 7,8 - o mais forte em quase 70 anos - ter matado mais de 650 pessoas. Não há relatos de danos ou vítimas.

Segundo o Serviço Geológico dos EUA, o epicentro do tremor foi localizado a 35 quilômetros da cidade de Muisne, a uma profundidade de 32 quilômetros, perto da costa do Pacífico. O fenômeno ocorreu às 2h57 no horário local (4h57 de Brasília).

O sismo atingiu partes da capital, Quito, e foi seguido por várias réplicas de até 5,4 de magnitude. Alguns moradores do bairro Costa Azul, no porto de Manta, na província de Manabí, deixaram suas casas e correram para as ruas.

O presidente Rafael Correa disse que não houve alerta de tsunami e pediu para que os moradores de Quito voltassem para suas casas. O tremor foi forte o suficiente para provocar um alerta de desastre nacional, mas Correa desativou o alerta de emergência algumas horas mais tarde, quando autoridades locais relataram que a situação estava calma.

"Este tipo de réplicas são normais, mas isso não significa que elas não são assustadoras e podem causar danos", disse Correa em um discurso transmitido pela televisão, acrescentando que tremores desta magnitude eram normais por até dois meses depois de um grande terremoto como o que o Equador experimentou recentemente.

No dia 16 de abril, um terremoto de 7,8 de magnitude atingiu o país e matou 661 pessoas, deixando mais de 28 mil moradores desabrigados. Ele foi seguido de cinco réplicas, incluindo o tremor desta quarta-feira. Fonte: Associated Press.