22°
Máx
14°
Min

Ataques aéreos na Síria deixam pelo menos 45 mortos, após acordo de cessar-fogo

Ataques aéreos intensos em torno do norte cidade de Alepo mataram pelo menos 45 pessoas neste sábado, segundo ativistas de oposição. O Aleppo Media Center, um coletivo militante, disse que 45 pessoas foram mortas neste sábado, poucas horas depois que EUA e Rússia chegaram a um novo acordo de cessar-fogo, na tentativa de acabar com a violência na Síria. Já o Observatório Sírio para Direitos Humanos, sediado no Reino Unido, disse que 30 pessoas foram mortas na província de Alepo e outra 39 morreram em decorrência dos ataques aéreos na província vizinha de Idlib. Números contrastantes de vítimas são comuns após grandes ataques na Síria.

Os Estados Unidos e a Rússia anunciaram neste sábado um acordo que iria estabelecer um cessar-fogo nacional a partir de segunda-feira, seguido de uma nova parceria militar visando combater militantes do Estado Islâmico e da Al-Qaeda, bem como o estabelecimento de novos limites sobre as forças do presidente sírio, Bashar Assad.

Outros períodos de trégua acordados na Síria também foram precedidos por picos de violência, já que tanto as forças governamentais quanto os rebeldes tentam consolidar posições ou ganhar novos caminhos nas horas finais remanescentes de guerra.

A agência de notícias estatal SANA disse que o governo sírio aceitou o acordo e acrescentou que as hostilidades vão parar no norte da cidade de Alepo, a maior do país, por "razões humanitárias", mas não indicou a partir de quando. De acordo com a agência, o acordo entre EUA e Rússia "foi alcançado com o conhecimento e a aprovação do governo sírio".

A violência deste sábado mostra que pode ser difícil implementar o acordo EUA-Rússia, tendo em vista que ambos os países têm influência limitada sobre o governo e os grupos rebeldes para cessar os bombardeios. A Rússia é o principal apoiador do governo de Assad, enquanto os EUA têm dado suporte a grupos rebeldes que tentam tirá-lo do poder.

Um cessar-fogo já havia sido negociado no início deste ano pelas duas potências mundiais, com efeito previsto para o final de fevereiro. Mas a trégua falhou pouco depois e foi seguida por meses de violência que deixou milhares de mortos.

O conflito da Síria, agora em seu sexto ano, continua, apesar de várias rodadas de negociações de paz e tentativas internacionais de acabar com a violência. Pelo menos 25 mil pessoas foram mortas e metade da população de antes da guerra se deslocou.

Os ataques aéreos deste sábado foram realizados, em sua maioria, nas províncias do norte de Idlib e Alepo. Alepo tem sido o centro da violência na Síria nos últimos meses, quando cerca de 2.200 pessoas, incluindo cerca de 700 civis, foram mortos, de acordo com o Observatório, que monitora a violência na Síria através de um rede de ativistas.

O Observatório e os Comitês de Coordenação Local também relataram um ataque aéreo em Douma, nos arredores de Damasco, onde quatro crianças estavam entre os mortos. O Observatório disse que o ataque aéreo mais mortal ocorreu em Idlib, perto do principal mercado local.

Fonte: Associated Press