23°
Máx
12°
Min

Autoridade militar da Coreia do Norte foi assassinada, diz Seul


Um graduado general da Coreia do Norte foi executado neste mês após ser acusado de corrupção, de acordo com funcionários sul-coreanos do setor de inteligência. A notícia é a mais recente de uma série de casos similares no regime comunista de Pyongyang.

O chefe do Estado-Maior do Exército da Coreia do Norte, Ri Yong Gil, foi morto por volta da época de uma reunião que reuniu graduadas autoridades nos dias 2 e 3. O encontro foi comandado pelo presidente Kim Jong Un, que pediu maior combate à corrupção, segundo os funcionários sul-coreanos, que citam várias fontes que pediram anonimato.

Kim afastou de suas funções cerca de 100 autoridades norte-coreanas desde que assumiu o poder no fim de 2011, segundo o governo de Seul. A mais graduada autoridade a ser executada foi o tio de Kim, Jang Song Thaek.

O impacto dessas ações sobre a estabilidade do regime é uma questão frequente de especulações na Coreia do Sul, mas não há sinais claros de instabilidade política na Coreia do Norte. Alguns especialistas dizem que o recente anúncio de um teste de uma bomba de hidrogênio e o lançamento de um foguete devem consolidar o apoio de Kim entre a elite norte-coreana.

Pyongyang raramente confirma as punições a autoridades e não disse nada sobre o destino de Ri, que foi mencionado pela última vez pela imprensa estatal da Coreia do Norte em meados de janeiro. Ele estava desde 2013 no posto, um dos cinco principais na hierarquia norte-coreana. Geralmente, Ri acompanhava Kim em visitas a exercícios militares e a bases, segundo os relatos oficiais, mas foi acusado de "conspiração" e "corrupção", segundo a Coreia do Norte.

Em maio, agentes da inteligência sul-coreana disseram que o ministro da Defesa da Coreia do Norte foi executado, após mostrar-se desleal a Kim. Em um incidente suspeito no fim do ano passado, a Coreia do Norte disse que a principal autoridade do país para as relações com a Coreia do Sul morreu em um acidente automobilístico. A Coreia do Norte ocasionalmente diz que autoridades morreram em acidentes de carro, mas há relativamente pouco tráfego no empobrecido país. Fonte: Dow Jones Newswires.