22°
Máx
17°
Min

Avião faz pouso de emergência na Somália após explosão abrir buraco na fuselagem

Autoridades somalis investigavam a causa da explosão, mas há a especulação de que possa estar envolvido o grupo militante islâmico al-Shabaab (Foto: Divulgação) - Avião faz pouso de emergência na Somália após explosão
Autoridades somalis investigavam a causa da explosão, mas há a especulação de que possa estar envolvido o grupo militante islâmico al-Shabaab (Foto: Divulgação)

Um Airbus A321 com 74 passageiros a bordo foi forçado a fazer um pouso de emergência na capital da Somália, Mogadiscio, após uma explosão abrir um buraco na fuselagem da aeronave.

Autoridades somalis investigavam a causa da explosão, mas há a especulação de que possa estar envolvido o grupo militante islâmico al-Shabaab, que regularmente ataca alvos do governo e dos militares nesse país africano. Autoridades da Somália disseram nesta quarta-feira (3) que duas pessoas ficaram feridas na explosão, mas a imprensa local informou que o corpo de um homem que aparentemente caiu do avião que seguiria para Djibuti teria sido encontrado perto da cidade de Balad, a 30 quilômetros de Mogadiscio, perto de onde a aeronave mudou de direção para retornar ao aeroporto de Mogadiscio.

Três agentes de aviação da Somália disseram à agência Associated Press nesta quarta-feira que não havia evidência de atividade criminal.


Um passageiro registrou os momentos dentro do avião logo após a explosão abrir um buraco na cabine de passageiros

O voo da companhia Daallo Airlines "passou por um incidente" pouco após decolar de Mogadiscio na terça-feira, disse a empresa em comunicado. O pouso ocorreu sem problemas e os passageiros foram retirados em segurança, segundo o texto. Uma investigação do episódio é realizada pela Autoridade de Aviação Civil da Somália.

O piloto da aeronave, o sérvio Vladimir Vodoppivec, disse a uma revista de Belgrado acreditar que havia uma bomba. Segundo ele, a explosão não danificou o sistema de controle da aeronave. "Nós perdemos pressão na cabine. Graças a Deus tudo terminou bem", comentou o piloto.

O voo entre Mogadiscio e Djibuti era operado pela Hermes Airlines, uma companhia aérea grega de baixo custo, informou a Daallo, que tem rotas entre Djibuti e o Oriente Médio e a África. A União Europeia proibiu todos os voos vindos de Djibuti, inclusive da Daallo Airlines, por questões de segurança.

Diretor-gerente da Augmentiq, uma companhia de segurança no setor de aviação, Matthew Finn disse que uma bomba era uma possibilidade, mas outras causas podem ter provocado o fato. Segundo ele, um problema na janela, por exemplo, poderia gerar o buraco. Outra hipótese, segundo Finn, é que houvesse uma bomba, mas não muito grande.