22°
Máx
17°
Min

CEO da VW descarta indenizações na Europa similares às acordadas nos EUA

O executivo-chefe da Volkswagen, Matthias Muller, descartou a possibilidade de fazer indenizações a clientes europeus por causa do escândalo de fraude em emissões de gases poluentes similares às oferecidas aos norte-americanos, dizendo que seria muito caro para a empresa.

"Você não tem que ser um matemático para ver que indenizações em alguma quantia arbitrária colocariam a Volkswagen embaixo d'água", disse Muller neste domingo, em uma entrevista ao jornal alemão Welt am Sonntag.

No mês passado, a montadora fechou um acordo de compensação nos Estados Unidos de US$ 14,7 bilhões, com um grupo que inclui o Departamento de Justiça, a Agência de Proteção Ambiental (EPA) e advogados de proprietários de veículos da marca.

Muller disse ter conversado na semana passada com a comissária da indústria da União Europeia, dizendo-lhe que o caso na Europa precisaria seguir uma abordagem diferente daquela em curso nos EUA. Os limites de emissões dos EUA são mais rigorosos do que os da UE e a participação nos pagamentos é opcional para clientes norte-americanos, acrescentou.

"Eu não tenho que explicar o que significaria financeiramente para a nossa empresa" se ela tivesse que pagar o mesmo aos clientes europeus, afirmou Muller.

A montadora reservou até agora US$ 18 bilhões para lidar com as consequências do escândalo de emissões e disse no mês passado que continua avaliando se a quantia é adequada. Fonte: Dow Jones Newswires.