28°
Máx
17°
Min

Cidade do Canadá em área de produção de petróleo escapou do pior do fogo

A premiê de Alberta, Rachel Notley, afirmou que a cidade de Fort McMurray, produtora de petróleo em areias betuminosas, se salvou em grande medida do incêndio que atingiu a região. A autoridade disse que há um plano para que dentro de duas semanas a maioria das 88 mil pessoas retiradas de suas casas possa retornar.

Pelo menos dois bairros em Fort McMurray tornaram-se cenários de devastação, que incinerou casas assoladas pelo fogo, que o chefe dos bombeiros da cidade qualificou como uma "besta, um incêndio que nunca tinha visto em minha vida". O quadro mais geral, porém, era mais otimista, já que autoridades disseram que 85% a 90% da cidade permanecia intacta, incluindo o distrito central.

A premiê de Alberta disse que cerca de 2.400 casas e prédios foram destruídos, mas os bombeiros salvaram outros 25 mil, inclusive o hospital, prédios municipais e todas as escolas em funcionamento. Notley disse que a cidade foi "cercada por um oceano de fogo há apenas um dia", mas que as comunidades atingidas serão reconstruídas. Segundo ela, o fogo continua a crescer fora da cidade e atinge agora uma área de 2.020 quilômetros quadrados.

A premiê disse que haverá uma reunião nesta terça-feira com representantes do setor de energia para discutir o estado das instalações na área e também o impacto sobre as operações. O fogo provocou a paralisação de até um terço da produção de petróleo do Canadá, uma economia que já sofre com a queda nos preços da commodity. "Nós só estamos começando a ter ciência dos impactos econômicos", disse o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau.

As reservas de petróleo em areias betuminosas em Alberta são a terceira maior da commodity no mundo, atrás da Arábia Saudita e da Venezuela. A maioria dos trabalhadores do setor vive em Fort McMurray, que abriga moradores de todo o Canadá. Campos de petróleo ao norte do local atingido não foram afetados pelo fogo e nem estão ameaçados, segundo autoridades.

Analistas do Goldman Sachs estimaram que o fogo levou a um corte de 1 milhão de barris por dia na produção de petróleo do Canadá, mas apontaram que, como não houve estragos nos próprios campos, a produção pode ser retomada rapidamente. Os economistas apontaram, porém, que como houve a retirada completa de pessoal da cidade isso pode levar a uma recuperação mais gradual. Fonte: Associated Press.