24°
Máx
17°
Min

Eleições estaduais da Alemanha fortalecem opositores de Merkel

Os eleitores alemães projetaram uma dura repreensão à Chanceler Angela Merkel e sua política de boas-vindas para refugiados em três eleições estaduais neste domingo, entregando ganhos históricos a um partido novato que se opõe a essa política.

O populista Alternativa para a Alemanha ganhou cerca de um quarto dos votos no Estado oriental da Saxônia-Anhalt, de acordo com pesquisas de boca de urna e com as últimas apurações. Caso confirmado na contagem final, o resultado seria o melhor para o partido, fundado há apenas três anos.

O partido, conhecido como AfD, também ganhou assentos no Parlamento em duas votações anteriores em estados ocidentais. Apoiadores se reuniram em uma celebração à noite, em Berlim, cantando "fora Merkel" após o início da divulgação dos resultados.

Temos uma posição muito clara sobre a política para refugiados: não queremos nenhum refugiado", disse o vice presidente do AfD, Alexander Gauland, à televisão alemã. "Todos que votaram em nós estão por trás dessa política".

É pouco provável que as eleições tenham um impacto imediato nas políticas de imigração de Merkel, mesmo que pressionem a chanceler. Ela deixou claras as suas intenções em reduzir o fluxo imigratório ao trabalhar em conjunto com a Turquia em vez de fechar as fronteiras da Alemanha. Decisões importantes sobre imigração são feitas em nível federal, não estadual.

Mas os resultados evidenciam que a crise imigratória polarizou a sociedade alemã. Proponentes à esquerda de uma política de boas-vindas a refugiados também registraram vitórias no domingo. O partido de Merkel, União Democrática Cristã, estava prestes a perder duas corridas acirradas, arrastando o Partido Verde em Baden-Württemberg e o Social Democrata em Renânia-Palatinado.

No Estado tradicionalmente conservador de Baden-Württemberg, um dos mais ricos do país, o Partido Verde, de centro-esquerda, ficou em primeiro lugar, com a vitória de Winfried Kretschmann. O partido de Merkel perdeu pela primeira vez no Estado desde a Segunda Guerra. Enquanto isso, o AfD estava a caminho de ganhar 15% dos votos, o melhor resultado pós-guerra para um partido populista de extrema direita no Estado.

Em Renânia-Palatinado, o governador Malu Dreyer do Social Democratas derrotou Julia Klöckner, do partido de Merkel.

Na Saxônia-Anhalt, um Estado que sofre com uma das maiores taxas de desemprego da Alemanha, o AfD conquistou cerca de 24% dos votos, enquanto o partido de Merkel vinha em primeiro lugar. Fonte: Dow Jones Newswires.