28°
Máx
17°
Min

Em entrevista anual, Putin fala sobre economia, EUA, Síria e Panama Papers

(Foto: Presidência da Rússia) - Em entrevista anual, Putin fala sobre economia, EUA, Síria e Panama Papers
(Foto: Presidência da Rússia)

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, buscou tranquilizar a nação durante sua entrevista anual transmitida pela televisão do país. Putin afirmou que a problemática economia russa vai se recuperar e prometeu fazer outros governos reconhecerem os interesses do país.

O presidente russo admitiu que a economia da Rússia está em recessão, mas disse que ela começará a crescer de novo no próximo ano, destacando que a produção agrícola está subindo. Em resposta a uma pergunta sobre inflação, Putin disse que medidas contra as sanções impostas por governos do Ocidente eventualmente irão ajudar a economia russa ao estimular a produção doméstica.

Perguntado sobre as difíceis relações com a Turquia, a Ucrânia e alguns outros países, Putin afirmou que a Rússia está pronta para ter laços amigáveis com todas as nações, mas vai retaliar qualquer movimento hostil.

Putin argumentou que os EUA precisam aprender a respeitar interesses legítimos da Rússia. "Se eles falarem conosco de modo respeitoso, nós sempre seremos capazes de encontrar soluções que satisfaçam a todos", declarou. "Eles precisam simplesmente trabalhar com a Rússia como um parceiro semelhante", acrescentou.

Sobre a Síria, Putin afirmou que a Rússia fortaleceu o exército sírio a ponto de agora ele poder conduzir operações ofensivas sem o auxílio de seu país. Como exemplo, Putin ressaltou a retomada da cidade de Palmyra, que estava sob domínio do Estado Islâmico. O líder russo mostrou esperança de que a trégua promovida pela Rússia e pelos EUA ajudará nas negociações de paz em Genebra, abrindo caminho para uma nova constituição e eleições antecipadas na Síria.

Apesar das relações estremecidas com a Turquia, Putin disse que a Rússia considera o país como uma nação amigável, mas que tem "problemas com alguns políticos que têm se comportado inadequadamente". As relações entre os dois países pioraram desde que um jato turco derrubou um avião russo na fronteira da Síria, em novembro passado.

Putin também falou sobre o escândalo Panama Papers, documentos sobre contas offshores que foram vazados pela empresa panamenha Mossack Fonseca. Segundo Putin, seu amigo Sergei Roldugin, que seria o operador de bilhões de dólares em ativos offshore, usou seu próprio dinheiro para comprar instrumentos musicais raros. Fonte: Associated Press.