26°
Máx
19°
Min

Embaixada da China no Quirguistão é alvo de ataque suicida

Um carro-bomba atingiu a embaixada chinesa no Quirguistão e deixou cinco pessoas feridas, segundo a imprensa estatal. O autor do ataque foi o único morto.

O atentado ocorreu na capital quirguiz, Bishkek, às 9h32 (hora local) da terça-feira, quando o autor lançou o veículo sobre o portão da embaixada, segundo a agência estatal chinesa Xinhua. A explosão, equivalente a 100 quilos de TNT, deixou três funcionários quirguizes e dois guardas feridos, além de danificar o complexo da embaixada e prédios próximos, acrescentou a Xinhua.

Autoridades não disseram quem pode estar por trás do ataque. O Quirguistão tenta identificar o autor por meio de testes de DNA, segundo a agência. O vice-premiê quirguiz, Zhenish Razakov, descreveu o episódio como um ataque suicida, em declarações à imprensa local e à agência russa Interfax.

A China condenou o ataque "extremo e violento" e pediu que as autoridades do Quirguistão que esclareçam o episódio, disse uma porta-voz da chancelaria de Pequim. Os três funcionários da embaixada não tiveram ferimentos graves, segundo a funcionária.

O Quirguistão, que tem fronteira com a região chinesa de Xinjiang, abriga uma população uigur considerável, que representa 1% de seus 5,5 milhões de habitantes. Os uigures são falantes de turco, em sua maioria muçulmanos, e lutam há tempos contra o domínio chinês. Um movimento separatista uigur tem periodicamente atacado a polícia e representantes do governo chinês nas últimas décadas em Xinjiang e a violência em alguns momentos cruzou as fronteiras. Fonte: Dow Jones Newswires.