27°
Máx
13°
Min

Erdogan condena relatório da Anistia Internacional sobre tortura na Turquia

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, condenou um relatório da Anistia Internacional divulgado hoje, no qual a organização afirma ter provas concretas de que algumas pessoas ligadas à tentativa fracassada de golpe militar foram torturadas. Erdogan insistiu que a Turquia tem uma política de "tolerância zero com a tortura" e acusou a Anistia Internacional de ignorar a violência utilizada pelos golpistas no dia 15 de julho.

Durante discurso a representantes de empresas estrangeiras que investem na Turquia, Erdogan convidou a Anistia Internacional a visitar as áreas atacadas pelos golpistas. "Se você tiver qualquer respeito próprio, você virá à Turquia... Você visitará nossos feridos no hospital e você verá quem fez o que", afirmou Erdogan.

No entanto, Erdogan reconheceu que alguns dos detidos podem ter sido espancados durante os tumultos, quando as forças governistas tentavam conter o golpe. "Do contrário, eles teriam matado nossos policiais", argumentou.

Em resposta a Erdogan, a Anistia Internacional disse condenar "a violência terrível" cometida pelos responsáveis pela tentativa fracassada de golpe. "Ao mesmo tempo, a Anistia Internacional tem pedido às autoridades turcas que respeitem a lei e os direitos dos que foram detidos", afirmou o secretário geral da Anistia, Salil Shetty. "O governo precisa soltar todos os presos, a menos que haja uma suspeita razoável de que eles tenham cometido um crime reconhecido", completou. Fonte: Associated Press.