26°
Máx
19°
Min

EUA anunciam morte de maior liderança financeira do EI

Washington, 25 (AE) - Autoridades norte-americanas anunciaram nesta sexta-feira a morte do homem que supostamente seria a principal liderança financeira do Estado Islâmico, bem como apreenderam eletrônicos e outros equipamentos durante operação na fronteira entre o Iraque e a Síria.

Abd al-Rahman Mustafa al-Qaduli era membro do círculo mais próximo de Abu Bakr al-Baghdadi, o líder supremo do Estado Islâmico. A morte de Qaduli ocorre após ataque aéreo que matou Abu Omar al-Shishani, um comandante checheno que era tido como figura quase mítica entre os combatentes do grupo extremista.

De acordo com o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ash Carter, a morte de Qaduli "comprometerá a capacidade da organização para conduzir operações tanto dentro quanto fora do Iraque e da Síria".

A intenção era capturar Qaduli vivo quando o ataque foi lançado na manhã de quinta-feira. Contudo, autoridades norte-americanas classificaram a operação como uma vitória tática em uma longa guerra contra o grupo extremista que invadiu o Iraque e a Síria e orquestrou atentados terroristas em diversas partes do mundo. Depois de Paris, Beirute, San Bernardino, o Estado Islâmico reivindicou a autoria dos ataques que nesta semana mataram 31 pessoas em Bruxelas.

"O conselho de Baghdadi está ficando menor", destacou uma autoridade norte-americana. "Nós derrubamos dois dos cinco principais nomes. A inteligência está melhorando", acrescentou.

O presidente Barack Obama planeja se reunir com líderes da Europa, da Turquia, da China e outros países na semana que vem, a fim de discutir a ameaça imposta pelo Estado Islâmico, incluindo a hipótese do grupo lançar um ataque terrorista nuclear. O encontro é um novo elemento da Cúpula de Segurança Nuclear prevista para acontecer em Washington.

Obama tem sido pressionado, particularmente pelos Republicanos, para escalar a guerra dos Estados Unidos contra o Estado Islâmico. Mas o presidente norte-americano vem resistindo aos pedidos para que envie grandes unidades terrestres ao Iraque e à Síria.

Nesta sexta-feira, o general Joseph Dunford disse que o número de tropas norte-americanas no Iraque provavelmente aumentará nas próximas semanas. "Eu e o secretário acreditamos que haverá um aumento das tropas norte-americanas no Iraque nas próximas semanas. Mas a decisão ainda não foi tomada", afirmou ele a repórteres. Fonte: Dow Jones Newswires.