20°
Máx
14°
Min

EUA: Imigrantes ilegais têm tratamento melhor do que veteranos, diz Trump

O pré-candidato à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump disse em um comício para motociclistas do grupo Rolling Thunder neste domingo que pessoas que vivem nos EUA ilegalmente muitas vezes são tratadas de forma melhor do que os veteranos das Forças Armadas do país. "Nós não vamos permitir que isso aconteça por mais tempo", disse Trump a apoiadores reunidos no espelho d'água do Memorial Lincoln. O discurso foi feito antes do feriado de Memorial Day, na segunda-feira, que homenageia os militares dos EUA que morreram em combate.

No comício dedicado a lembrar prisioneiros de guerra e desaparecidos em ação, a multidão aplaudiu - um sinal, talvez, que alguns grupos de veteranos estão deixando de lado a indignação contra Trump após os comentários do ano passado de que ele gosta "das pessoas que não foram capturadas" nas guerras. O comentário tinha como alvo o senador John McCain, capturado e mantido por mais de cinco anos prisioneiro durante a Guerra do Vietnã. Trump afirmou que McCain era um "herói de guerra porque foi capturado" e se recusou a pedir desculpas a ele.

Muitos grupos de veteranos ficaram furiosos, mas desde então Trump tem trabalhado para tentar reparar o dano. Ele frequentemente homenageia veteranos em seus comícios e lançou um plano para reformar o Departamento de Assuntos de Veteranos. Trump também levantou recursos para causas dos veteranos em Iowa. Ainda assim, o empresário, que evitou servir às Forças Armadas por meio de uma série de adiamentos, recebeu críticas por não distribuir imediatamente os US$ 6 milhões que disse ter arrecadado. Trump deve realizar uma entrevista coletiva na terça-feira para anunciar o nome das instituições de caridade selecionadas para receber o dinheiro.

No domingo, Trump também prometeu derrotar o grupo Estado Islâmico por meio de Forças Armadas maiores e melhores e reduzir o tempo de espera para os veteranos que necessitam de cuidados médicos. "Se há uma espera, vamos dar o direito para essas pessoas de ir a um médico particular ou mesmo um médico público e receber o cuidado e vamos pagar a conta", assinalou. Fonte: Associated Press.