24°
Máx
17°
Min

Ex-policial paraguaio é preso por traficar e prostituir mulheres

Uma operação simultânea em Cidade do Leste, no Paraguai e na Europa, desarticulou uma quadrilha, suspeita de traficar mulheres para a exploração sexual. As ações de busca, apreensão e prisão ocorreram na segunda-feira (30) em agências de turismo do Paraguai e também na casa dos dois suspeitos.

De acordo com a investigação, o ex-policial paraguaio, Cezar Miri Aquino, 38 anos e a mãe dele, Ilda Arca, 62 anos, eram os responsáveis por aliciar as jovens paraguaias e manda-las até a Europa.

As vítimas eram iludidas por condições melhores de vida no exterior e por isso aceitavam a proposta, sem saber que seriam exploradas sexualmente em boates europeias. Conforme a polícia, mãe e filho, adquiriam pacotes de viagens para que as vítimas chegassem aos destinos – Espanha, Itália, México e França.

Conforme a promotoria do Paraguai, a investigação ainda não foi concluída, no entanto algumas vítimas já foram localizadas nas ações policiais. Há suspeitas de que mais pessoas integrem a quadrilha. O grupo só foi descoberto, depois de uma abordagem em uma casa de prostituição da Europa.

Para a polícia a quadrilha era bem estruturada e agia de forma articulada. No Paraguai as jovens eram escolhidas, sempre maiores de idade e quase todas do próprio país. Na Europa elas eram prostituídas.

O ex-policial e a mãe dele foram transferidos para Assunção. Conforme a promotoria, Cezar foi excluído da corporação paraguaia, por suspeita de envolvimento em um roubo. Se condenados, os dois podem responder pelos crimes de tráfico internacional de pessoas e prostituição.

No Paraguai a pena varia de 15 a 30 anos de prisão. O caso segue em investigação.

Colaboração: Cris Neres / Rede Massa e TV Telefuturo