26°
Máx
19°
Min

Explosões na Síria matam 10, mas Alepo mantém calma relativa

Um carro-bomba explodiu na praça principal de uma vila no centro da Síria, nesta quinta-feira, e quando as pessoas se reuniram para ajudar as vítimas um suicida em uma motocicleta detonou os explosivos que levava. O atentado matou dez pessoas e deixou vários feridos, segundo a imprensa estatal e o governo regional.

O duplo atentado na província de Homs, no centro sírio, ocorre horas após um cessar-fogo levar relativa calma à cidade de Alepo, no norte do país, que vinha sendo o epicentro da violência nas últimas semanas. A trégua foi anunciada por autoridades dos Estados Unidos, em um acordo com a Rússia. A intenção é ampliar o frágil cessar-fogo para a cidade alvo dos maiores confrontos. Militares sírios disseram que a trégua duraria apenas 48 horas.

O presidente sírio, Bashar Assad, disse em carta ao presidente russo, Vladimir Putin, que as forças oficiais acabarão vitoriosas em Alepo. Assad comparou a resistência das forças sírias às soviéticas em Stalingrado, na Segunda Guerra.

Entre os dez mortos em Homs havia quatro crianças e três mulheres, segundo a TV estatal. Cerca de 50 pessoas se feriram no ataque na vila de Mukharam al-Fawkani, 45 quilômetros a leste de Homs, terceira maior cidade do país. O governador de Homs, Talal Barrazi, disse que as explosões foram causadas por um carro-bomba e por um suicida. O Observatório Sírio pelos Direitos Humanos também confirmou o ataque e o número de mortos. Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque, mas o Estado Islâmico nos últimos meses afirmou ser responsável por várias ações similares em Homs.

Em Alepo, a imprensa estatal síria informou que houve algumas violações da trégua, como de militantes que dispararam mais de 20 projéteis contra áreas controladas pelo governo na cidade, onde 280 civis foram mortos nas últimas duas semanas, segundo o Observatório. O grupo ativista disse que os ataques de hoje mataram uma pessoa e também deixaram feridos. Fonte: Associated Press.