26°
Máx
19°
Min

Farc fazem última conferência como exército rebelde antes de assinar acordo

(Foto: Divulgação) - Farc fazem última conferência antes de assinar acordo
(Foto: Divulgação)

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) começaram neste sábado a sua última conferência como um exército rebelde, em transição para se tornarem um movimento político. O principal líder das Farc, Rodrigo Londono, conhecido pelo seu nome de guerra, Timochenko, pediu que cerca de 500 guerrilhas desarmadas e semi-uniformizadas de toda a Colômbia comparecessem à reunião de hoje, na qual os principais comandantes devem ratificar um acordo de paz com o governo.

Diante de centenas de combatentes, Timochenko afirmou que, ao buscar a paz, não há vitoriosos, nem vencidos. "Se os nossos adversários quiserem dizer que venceram a guerra, isto é problema deles", afirmou o líder. "Para as Farc, nossa grande satisfação sempre será que a paz venceu", completou.

Timochenko e o presidente colombiano Juan Manuel Santos vão assinar o acordo no dia 26 de setembro, na cidade de Cartagena. Uma semana depois, a população será consultada sobre se aceita ou não o tratado. Pesquisas de intenção de voto mostram ampla maioria pelo sim.

Essa é a décima conferência das Farc como um exército rebelde e a primeira que não foi feita em segredo. Em vez de discutir estratégias de batalha, as Farc devem definir um novo nome para o movimento político e deliberar sobre quem elas querem que as represente nos 10 lugares reservados no congresso, criados especialmente para o grupo no acordo.

"Esse é um momento histórico, pois a trajetória da Colômbia sempre foi de guerra", afirmou uma rebelde de 29 anos, cujo nome de guerra é Gina. "Esse momento é o que todo colombiano estava esperando", completou.

Um comandante do bloco leste das Farc, Mauricio Jaramillo, disse estar otimista com o futuro. "Acho que teremos notícias ótimas para o país. Uma oportunidade real de paz está se abrindo para a Colômbia", disse. Fonte: Associated Press.