21°
Máx
17°
Min

Governo da Irlanda comemora upgrade de rating soberano pela Moody's

O novo governo da Irlanda comemorou neste sábado a decisão da agência de classificação de risco Moody's de elevar o rating soberano do país para A3, de Baa1 anteriormente. Na avaliação do governo, a medida é um sinal de confiança de que os esforços para reduzir as enormes dívidas do país, contraídas durante a crise financeira, serão bem sucedidos. "Isso prova que a Irlanda está caminhando na direção certa", afirmou o ministro das Finanças, Michael Noonan.

A Irlanda encerrou seu maior período sem um governo em 6 de maio, 70 dias após eleições inconclusivas serem realizadas em 26 de fevereiro, quando o partido Fine Gael e seu parceiro anterior de coalizão perderam cadeiras no Parlamento, mas sem que os opositores chegassem perto de uma maioria. Em seus cinco anos no poder, a coalizão havia trabalhado para reduzir gastos e elevar impostos, com o objetivo de reduzir o déficit e reverter o aumento das dívidas.

Sem que o partido de oposição conseguisse maioria no Parlamento, Enda Kenny, do partido Fine Gael, foi apontado para um segundo mandato como primeiro-ministro. Ele lidera, porém, um governo minoritário, cuja sobrevivência depende de nove legisladores independentes, e também depende de uma aliança com os rivais de longa data do Fianna Fáil, de centro-direita, que concordou em não votar contra o novo governo em questões-chave por três anos.

No início desta semana, o novo governo publicou seu programa para os próximos anos, em que se compromete a continuar a consertar as finanças públicas para eliminar o déficit até 2018. "A decisão mostra que a Moody's está confiante de que o programa de governo, publicado nesta semana, irá reforçar essa tendência de melhora", comentou Noonan.

Neste sábado (horário local), a Moody's respondeu aos acontecimentos recentes ao elevar o rating para A3 e manter a perspectiva positiva, o que sinaliza que é possível nova elevação da nota. Contudo, o rating continua muito abaixo do alcançado pela Irlanda antes da crise, que foi desencadeada pelo estouro de uma bolha imobiliária a partir de 2007.

"O risco de uma reversão da consolidação fiscal vista nos últimas anos é baixo", afirmou a Moody's, em comunicado. "O recente acordo político entre os dois maiores partidos no Parlamento e a recente eleição de um governo liderado pelo Fine Gael, que estabeleceu um histórico de gestão fiscal, trazem conforto na avaliação de que o déficit vai ser reduzido ainda mais nos próximos anos."

De acordo com a agência de estatísticas da União Europeia, o governo da Irlanda reduziu o déficit para 93,8% do produto interno bruto em 2015, de 120,1% em 2012. A taxa de crescimento mais rápida entre as economias desenvolvidas impulsionou as receitas fiscais entre 2014 e 2016. Fonte: Dow Jones Newswires.