26°
Máx
19°
Min

Grécia convoca embaixador na Áustria para consultas, em protesto por imigração

O Ministério das Relações Exteriores da Grécia anunciou que estava convocando de volta seu embaixador na Áustria, para consultas. A medida é um protesto diplomático, tomado um dia após a Áustria realizar uma reunião com autoridades dos países dos Bálcãs para discutir como limitar o número de imigrantes que chegam à Europa, excluindo a Grécia desse diálogo.

O ministro das Relações Exteriores grego, Nikos Kotzias, convocou o embaixador "a fim de salvaguardar as relações amigáveis entre os Estados e o povo da Grécia e da Áustria", segundo comunicado. A grande fronteira marítima da Grécia próxima da Turquia e a proximidade de suas ilhas com a costa turca tornaram a área um ponto de entrada de centenas de milhares de pessoas que fogem de guerras e da pobreza e desejam uma vida melhor na Europa.

O Ministério das Relações Exteriores da Grécia disse que estava "claro que os grandes problemas da União Europeia não podem ser enfrentados com pensamentos, mentalidades e iniciativas extrainstitucionais que têm suas raízes no século XIX". Segundo ele, atos como o do governo austríaco "minam as fundações do processo de unificação europeia".

Em outro episódio envolvendo a questão dos refugiados e da imigração no continente, uma porta-voz da Comissão Europeia afirmou que não entende o motivo de a Hungria ter convocado um referendo nacional sobre o plano do bloco para que cada membro receba uma cota obrigatória de refugiados. Segundo a funcionária, isso pode afetar uma decisão já tomada por todas as nações da UE. Analistas dizem que a proposta é uma tentativa do primeiro-ministro Viktor Orban de se posicionar como um líder entre aqueles que se opõem à iniciativa europeia para os refugiados. Os planos da UE são realocar 160 mil refugiados que estão na Grécia e na Itália. Até agora, porém, apenas 600 pessoas foram realocadas e apenas alguns países da UE ofereceram vagas para recebê-los - menos de 5 mil vagas no total.

Na Alemanha, parlamentares aprovaram um pacote de medidas para acelerar o processo dos imigrantes candidatos a asilo e reduzir o número de pessoas que entram no país. O Parlamento aprovou o pacote por 429 votos a 147, com quatro abstenções. No ano passado, a Alemanha recebeu 1,1 milhão de pedidos de asilo e autoridades querem diminuir este número em 2016. Fonte: Associated Press.