22°
Máx
16°
Min

Justiça da Suécia mantém ordem de detenção contra fundador do WikiLeaks

Um tribunal de apelação na Suécia decidiu nesta sexta-feira manter a ordem de detenção internacional contra o fundador do WikiLeaks, o australiano Julian Assange, pelas acusações de estupro que pesam sobre ele desde 2010, o que representa um revés para a equipe de defesa de Assange.

Assange, de 45 anos e que está refugiado desde 2012 na embaixada do Equador em Londres, é procurado para interrogatório sobre uma acusação de que ele estuprou uma mulher durante uma visita à Suécia em 2010. Ele não foi acusado e nega a acusação.

Em um comunicado, o tribunal de apelação com base em Estocolmo disse que concordou com uma decisão anterior pelo tribunal distrital de Estocolmo de que o fato dele não permanecer no país é um motivo para suspeitar de Assange do crime e que havia o risco de que ele iria tentar fugir de alguma forma da acusação ou da pena se o pedido para detê-lo fosse retirado. Assange pode recorrer da nova decisão no Supremo Tribunal da Suécia.

Esta é a oitava vez em seis anos que um tribunal sueco rejeita um recurso de Assange para evitar a extradição do Reino Unido à Suécia. Ele e sua defesa pedem que a ordem de detenção seja retirada, pois, segundo ele, se for executada, ele será extraditado aos EUA para ser julgado pela divulgação de centenas de milhares de documentos secretos através do WikiLeaks. Fonte: Dow Jones Newswires.