26°
Máx
19°
Min

Kuroda afirma que está aberto a forma mais branda de "dinheiro de helicóptero"

O presidente do Banco do Japão (BoJ), Haruhiko Kuroda afirmou neste sábado que deixou as portas abertas para uma versão mais atenuada de "dinheiro de helicóptero" - operação pela qual gastos públicos são financiados diretamente por um banco central - que envolve a introdução separada, mas simultânea, de novos estímulos monetários e fiscais.

Em entrevista durante a reunião do G-20 em Chengdu, na China, Kuroda disse que uma medida mais radical de "dinheiro de helicóptero", seja pelo banco central subscrevendo títulos do governo ou tornando a flexibilização monetária parte do estímulo fiscal "está proibida".

Entretanto, "o impacto na economia será maior", se o banco central afrouxar sua política monetária ao mesmo tempo em que o governo introduz estímulos fiscais, afirmou o dirigente, sem entrar em detalhes.

A reunião de política monetária do BoJ deve ocorrer na próxima semana. Investidores vem pedindo por medidas de estímulo adicionais para impulsionar o crescimento econômico.

"A economia do Japão está se recuperando moderadamente" disse Kuroda. Se a economia continuar a se comportar como o esperado pelo BoJ "os salários e os preços irão subir também", afirmou. Fonte: Dow Jones Newswires.