Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Legislativo aprova abandono de cargo de Maduro, mas Justiça anula decisão

(Foto: Freddy Zarco/ ABI) - Legislativo aprova abandono de cargo de Maduro; Justiça anula decisão
(Foto: Freddy Zarco/ ABI)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Assembleia Nacional da Venezuela declarou nesta segunda (9) o abandono de cargo do presidente Nicolás Maduro. Embora prevista na Constituição, a medida terá efeito simbólico, porque o Tribunal Supremo de Justiça considerou a decisão ilegal.

O abandono de cargo era a última tentativa legal possível que tinha a oposição, que domina o Legislativo, de convocar eleições gerais em caso de saída do presidente.

A partir desta terça (10) -quando o mandato que cumpre o chavista chega a quatro anos-, quem assume em seu lugar em caso de deposição é o vice, hoje Tareck El Aissami, da linha dura do governo.

Isso acontecerá mesmo que prospere o referendo que revoga o mandato de Maduro, que seus adversários tentaram fazer durante o ano passado. Porém, o Conselho Nacional Eleitoral postergou os prazos da coleta de assinaturas, necessárias para que a votação fosse convocada.

Por fim, o Tribunal Supremo de Justiça declarou em outubro que o recolhimento das firmas em quatro estados foram anuladas por irregularidades, sepultando a possibilidade de que a consulta se realizasse até esta terça.