22°
Máx
14°
Min

Lideranças europeias demandam que Reino Unido deixe UE "o mais rápido posssível"

Ministros de Relações Exteriores de seis nações fundadoras da União Europeia reivindicaram neste sábado que o Reino Unido tome as providências para deixar o bloco europeu "o mais rápido possível".

Ministros da França, Alemanha, Itália, Holanda, Bélgica e Luxemburgo que se reuniram em Berlim afirmaram que o governo britânico precisa implementar rapidamente o artigo 50 do tratado da União Europeia, que trata da saida de um membro do grupo, para que o bloco siga em frente normalmente.

"Estamos prontos para trabalhar com as instituições responsáveis tão logo as negociações para definir e esclarecer o futuro das relações entre União Europeia e Reino Unido tenham início", afirmaram as lideranças em comunicado conjunto.

Antes do encontro, o ministro alemão de Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, declarou que as nações fundadoras do bloco europeu precisariam discutir sobre as lições trazidas pela saída do Reino Unido da União Europeia e, juntas, tornarem-se mais fortes no futuro. "Não deixaremos nossa Europa ser tirada de nós", afirmou Steinmeier a repórteres.

Após o resultado do referendo no Reino Unido, Steinmeier declarou ser crucial que os estados-membro do bloco europeu ouçam uns aos outros e seus cidadãos para preparar uma resposta conjunta à decisão dos britânicos. Líderes europeus temem que a saída do Reino Unido da UE pode levar outros políticos nacionalistas na Holanda, França e outras nações a seguir o exemplo britânico. Representantes dos países presentes em Berlim disseram que um objetivo estratégico do encontro realizado hoje era enviar uma mensagem de unidade sobre o futuro da Europa.

Steinmeier também destacou neste sábado a importância de os países estabelecerem diálogos privados, em pequenos grupos e encontros bilaterais, para entender melhor o que cada país espera agora da União Europeia, antes dos encontros com todos os membros do bloco na próxima semana. Algumas lideranças europeias criticaram o encontro das seis nações fundadoras realizado hoje, alegando que o grupo estaria excluindo os demais países. "Estou certo de que há um grande desejo dos 27 membros da União Europeia de tornar a Europa ainda mais forte", disse Steinmeier. Fonte: Dow Jones Newswires.