27°
Máx
13°
Min

Militantes na Síria capturam áreas controladas pelo governo

Militantes capturaram duas vilas que antes eram controladas pelas forças do governo da Síria na província de Aleppo, após dias de confrontos que deixaram dezenas de combatentes mortes, afirmou o Observatório Sírio de Direitos Humanos neste sábado. Segundo a entidade, foram quatro dias de ofensivas de diferentes grupos militantes, incluindo a afiliada da Al Qaeda Nusra Front, que mataram 86 soldados que lutavam no lado do governo, incluindo 25 membros do Hezbollah.

O Observatório Sírio e o Comitê Local de Coordenação, duas entidades que monitoram o conflito por meio de redes de ativistas locais, afirmaram que os militantes atualmente controlam as vilas de Zeitan e Khalsa, ao sul da cidade de Aleppo.

O Nusra Front e seus aliados iniciaram diversas ofensivas ao sul de Aleppo nos últimos meses, causando importantes baixas nas forças pró-governo. Enquanto isso, as forças do governo fecharam as partes da cidade que estão em poder dos rebeldes, que estão sendo bombardeadas diariamente.

"A situação é muito boa", disse um combatente da Nusra Front no sul de Aleppo, por telefone, à Associated Press. Ele confirmou que os militantes tomaram o controle das vilas.

O Hezbollah publicou um comunicado neste sábado afirmando que o grupo perdeu "mártires" em "confrontos diretos e pesados com organizações terroristas". O grupo negou relatos de que os integrantes do Hezbollah foram mortos em embates com as forças do governo de Assad, e disse que suas relações com o exército da Síria e com outros aliados são "fortes". O Hezbollah enviou centenas de combatentes para a Síria, em apoio às forças do presidente Bashar Assad.

Em Aleppo, os bombardeios deixaram sete mortos e dezenas de feridos no bairro predominantemente curdo de Sheikh Maqsoud. A área é controlada pela principal milícia curda, a Unidade de Proteção ao Povo, que luta contra os insurgentes na Síria e com o Estado Islâmico. Fonte: Associated Press.