26°
Máx
19°
Min

Nos EUA, Hillary e Trump garantem vitória em primárias no Arizona

(Foto:Tech Sgt. Cohen A. Young) - Nos EUA, Hillary e Trump garantem vitória em primárias no Arizona
(Foto:Tech Sgt. Cohen A. Young)

O republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton conseguiram vitórias importantes nas primárias partidárias da terça-feira, ao derrotar seus rivais no Arizona. Em um dia marcado pelos atentados em Bruxelas, os dois aproveitaram para criticar as visões dos rivais em política externa e do combate ao extremismo islâmico.

Trump e Hillary conseguiram vitórias no Estado do Arizona, que concedia mais delegados na disputa do dia anterior. O senador democrata Bernie Sanders, porém, obteve vitórias no caucus de Utah e no de Idaho, enquanto o republicano Ted Cruz ganhou no caucus de Utah.

Com o êxito no Arizona, porém, Trump e Hillary mantêm uma vantagem confortável na corrida por delegados que indicarão o candidato oficial de cada partido, nas convenções nacionais de julho.

Na Europa, o Estado Islâmico reivindicou a autoria de ataques em Bruxelas que deixaram dezenas de mortos e centenas de feridos. Diante disso, o tema esteve presente nas declarações dos pré-candidatos.

"Não se trata apenas de escolher um presidente, mas de eleger um comandante-em-chefe", disse Hillary em Seattle, ao condenar Trump nominalmente e denunciar o apoio do empresário a táticas de tortura e por sua retórica linha-dura em relação aos muçulmanos. "A última coisa que precisamos é de líderes que incitem mais medo."

Trump, por sua vez, chamou a ex-secretária de Estado de "Incompetente Hillary", em uma entrevista à rede Fox News, ao comentar a participação dela no governo do presidente Barack Obama. "A Incompetente Hillary não sabe sobre o que está falando", disse o magnata. "Ela não tem a menor ideia."

O dia de votações nas primárias foi marcado por participação intensa no eleitorado dos dois partidos. No Arizona, em alguns locais os eleitores esperaram duas horas ou mais para participar.

Entre os republicanos, Cruz condenou a inexperiência de Trump em política externa. "O que está em jogo é muito alto para se aprender durante o trabalho", afirmou. O senador ultraconservador pelo Texas divulgou comunicado após os ataques em Bruxelas, no qual dizia que era hora das forças de segurança patrulharem bairros muçulmanos "antes que eles se tornem radicalizados", sem dar mais detalhes.

Com a vitória no Arizona, Trump obteve pouco menos da metade dos delegados republicanos decididos até agora. Se mantiver esse patamar, ainda não estará confirmado como o nome a ser escolhido na convenção nacional. No total, Trump conseguiu 739 delegados e Cruz, 465. São necessários 1.237 delegados para conseguir a nomeação republicana. No lado democrata, Hillary possui 1.214 delegados e o senador Bernie Sanders, 901. Além disso, a pré-candidata tem um apoio bem maior entre os chamados superdelegados, lideranças partidárias que não dependem da votação popular para escolher seu pré-candidato. Fonte: Associated Press.