20°
Máx
14°
Min

Nos EUA, Trump tem semana crucial na disputa de primárias no Partido Republicano

(Foto: Michael Vadon/ Wikimédia Communs) - Nos EUA, Trump tem semana crucial na disputa de primárias no Partido Republicano
(Foto: Michael Vadon/ Wikimédia Communs)

Pré-candidato à frente dos rivais, Donald Trump tem uma semana crucial na disputa com os rivais do Partido Republicano pela indicação à disputa pela Casa Branca. A disputa mais importante talvez esteja em Ohio, Estado onde o pré-candidato vencedor leva todos os votos em disputa.

O governador de Ohio, John Kasich, também está na corrida eleitoral e é popular no Estado. Trump já chegou Kasich de "um bebê" e o governador sugeriu que a violência em alguns dos eventos da campanha de Trump representam um "lado negro" da sociedade norte-americana.

Também nesta terça-feira estarão em disputa Illinois, Missouri, Carolina do Norte e Flórida, com um número total de delegados em jogo que representa mais de um quarto dos 1.237 necessários para a indicação no partido que faz oposição ao presidente Barack Obama.

O senador Ted Cruz, do Texas, argumenta que apenas ele pode impedir Trump de atingir a maioria exigida de delegados. O senador Marco Rubio, pela Flórida, tenta seguir relevante na disputa, buscando vencer em seu Estado e continuar na corrida eleitoral.

Trump tentou no domingo tirar a atenção das intensas críticas recebidas após os distúrbios da sexta-feira em Chicago, quando ele cancelou um evento após violentos confrontos entre seus partidários, manifestantes e autoridades. Em um comício no sábado, um manifestante invadiu o palco enquanto Trump falava, sendo contido por agentes do serviço secreto.

"Nós não estamos provocando. Nós queremos paz, não queremos problemas", discursou Trump a partidários em Illinois, no domingo. Houve interrupções ocasionais de manifestantes, mas sem violência.

Kasich passou ao ataque a Trump, lembrando várias declarações do rival a um assessor, que incluíram comentários que ele gostaria de "socar" um manifestante "no rosto". Mais tarde, o governador questionou em Ohio se a sociedade norte-americana iria "para o lado negro, a negatividade", em referência indireta ao rival. Trump reagiu retratando o rival como fraco e pronunciando de propósito incorretamente o sobrenome checo de Kasich.

Entre os pré-candidatos do Partido Democrata, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton tem uma vantagem de mais de 200 delegados nas disputas de terça-feira e pode na prática sufocar a trajetória do rival Bernie Sanders, caso consiga uma vitória folgada em grandes Estados. Fonte: Associated Press.