22°
Máx
17°
Min

Onda de ataques suicidas mata pelo menos 29 no Iraque

Militantes realizaram uma série de ataques suicidas pelo Iraque nesta segunda-feira, deixando pelo menos 29 mortos e dezenas de feridos, segundo autoridades. O maior atentado ocorreu na província de Dhi Qar, onde um suicida detonou os explosivos que levava dentro de um restaurante frequentado por milicianos paramilitares xiitas e matou pelo menos 14 pessoas.

Outras 27 pessoas se feriram no ataque contra o conhecido restaurante, localizado na rodovia principal que liga Bagdá com províncias do sul do país, disse um policial. Dhi Qar fica cerca de 320 quilômetros a sudeste da capital iraquiana.

Também nesta segunda-feira, um suicida atacou em uma área comercial da cidade de Basra, rica em petróleo, e matou pelo menos cinco pessoas, segundo a polícia. Outras dez pessoas se feriram nessa ação. Basra fica 550 quilômetros a sudeste de Bagdá.

Na capital, um suicida lançou seu carro contra um posto de controle no subúrbio de Sadr al-Qanat, em um ataque que deixou seis soldados mortos e 13 pessoas feridas. Outro carro-bomba atingiu a sede de tropas paramilitares na cidade de Mishahda, 30 quilômetros ao norte de Bagdá, matando quatro pessoas e ferindo dez.

Fontes do setor médico confirmaram os números de mortos. Todas as fontes pediram anonimato, por não estarem autorizadas a falar à imprensa.

O Estado Islâmico tomou boa parte do norte e do oeste do Iraque no verão local de 2014. No mês passado, o Exército iraquiano, apoiado por milícias pró-governo, lançou uma ofensiva para retomar Mossul, a segunda maior cidade do país, que está sob controle do grupo extremista. O progresso dos militares em vilas próximas da cidade, porém, agora é mais lento, diante de bombas e outras armadilhas.

Nesta segunda-feira, autoridades do Iraque disseram que as tropas recapturaram uma importante vila perto de Mossul, após vários dias de confrontos. As forças iraquianas retomaram a vila de al-Nasr, perto do rio Tigre, após destruírem seis carros-bomba suicidas que tentavam atacá-los, disse o coronel Mohammed al-Wagaa.

De acordo com a Organização das Nações Unidas, pelo menos 1.119 iraquianos foram mortos e 1.561 ficaram feridos em março, uma forte alta ante o mês anterior, quando ocorreram 670 mortes e 1.290 pessoas ficaram feridas. Fonte: Associated Press.