21°
Máx
17°
Min

Pesquisas apontam Hillary como vencedora do 1º debate presidencial

(Foto: Divulgação) - Pesquisas apontam Hillary como vencedora do 1º debate presidencial
(Foto: Divulgação)

Hillary Clinton venceu o primeiro debate com Donald Trump da eleição presidencial dos EUA, de acordo com pesquisas qualitativas com eleitores divulgadas na madrugada de hoje. A ex-secretária de Estado manteve a calma, projetou confiança, valorizou sua experiência e conseguiu colocar o adversário na defensiva, com acusações de racismo, sexismo e despreparo.

O bilionário atuou de maneira mais contida do que nas primárias de seu partido, quando distribuiu insultos e dizimou os adversários com apelidos depreciativos. Durante os 90 minutos do debate de segunda-feira, o bilionário não usou nenhuma vez o "Hillary trapaceira" com que costuma se referir à candidata democrata.

Mas o traquejo de Trump como uma celebridade televisiva não o socorreu no confronto de ontem. O bilionário demonstrou nervosismo com fungadas ostensivas, frequentes interrupções dos comentários de Hillary e respostas que nem sempre foram coerentes.

A democrata foi favorecida pela falta de questionamento em relação à Fundação Clinton e o potencial conflito de interesses criado por doações feitas à instituição por outros países. A candidata também foi pouco pressionada por Trump em razão da decisão de usar um servidor privado de internet no período em que era secretária de Estado - o que ela reconheceu ter sido um erro.

Pesquisa divulgada pela CNN depois do debate mostrou que 62% dos que viram o confronto apontaram a democrata como a vencedora da noite. Apenas 27% disseram que Trump se saiu melhor do que Hillary. A emissora ressaltou que mais democratas do que republicanos assistiram o evento, o que dava vantagem à ex-secretária de Estado no resultado. Ainda assim, a diferença em favor da democrata superava a disparidade na composição dos entrevistados.

Hillary também ganhou de acordo com "grupos de foco" reunidos por consultores para avaliar o debate em tempo real. Frank Luntz costuma realizar pesquisas para o Partido Republicano e seu levantamento concluiu que a democrata venceu o enfrentamento. No grupo de 22 eleitores que ele reuniu, 16 afirmaram que Hillary ganhou o debate e apenas 6 apontaram Trump como vencedor. Em um grupo de 20 eleitores indecisos da Flórida reunido pela CNN, 18 declararam que Hillary foi a vencedora da noite.

A ex-secretária de Estado assumiu uma postura ofensiva desde o início do debate, quando comparou sua origem em uma típica família de classe média com a herança recebida por Trump de seu pai. "Donald sempre foi muito afortunado em sua vida", disse Hillary, que se referiu o tempo todo ao adversário por seu primeiro nome. "Ele começou seus negócios com US$ 14 milhões emprestados por seu pai", afirmou a candidata, que usou o exemplo para criticar as propostas de Trump de redução de impostos para todos os contribuintes, incluindo os mais ricos.

Hillary também colocou o adversário na defensiva ao falar de mudança climática e lembrar que Trump considerava o aquecimento global um "farsa". O republicano respondeu que nunca havia declarado isso, o que foi desmentido depois do debate por jornalistas que faziam a checagem dos fatos apresentados pelo candidatos.

Um dos mais ásperos momentos do debate ocorreu quando o moderador, Lester Holt, perguntou a Trump se ele mantinha declaração anterior de que Hillary não tinha "aparência presidencial". Na resposta, o bilionário disse que não se referia à aparência, mas à energia de Hillary para ocupar o cargo. Rejeitado pela maioria do eleitorado feminino, Trump tentava evitar a percepção de que julga as mulheres por seus atributos físicos.

A democrata aproveitou o gancho para realizar um dos mais contundentes ataques da noite ao adversário: "Ele tentou mudar (a discussão) da aparência para a energia, mas esse é um homem que chamou mulheres de porcas, sujas e cachorras, que disse que a gravidez é um inconveniente para os empregadores", ressaltou Hillary.

Trump respondeu com a afirmação de que pretendia dizer algo "muito rude" em relação à adversária e sua família. "Eu disse a mim mesmo que eu não podia fazer isso", declarou o candidato. Antes do debate, ele insinuou no twitter que convidaria Gennifer Flowers, ex-amante de Bill Clinton, para assistir o evento na primeira fila. Sua campanha disse que era uma ironia. (Cláudia Trevisan, correspondente)