22°
Máx
17°
Min

Primeiro debate entre Hillary e Trump poder ser o mais assistido da história

- Debate entre Hillary e Trump poder ser o mais assistido da história

O primeiro debate entre os dois candidatos à presidência dos Estados Unidos, a democrata Hillary Clinton, e o republicano Donald Trump, será realizado na noite desta segunda-feira e a projeção é que seja o mais assistido da história do país. A expectativa é que a audiência seja comparável ao do programa mais visto anualmente nos EUA anualmente, a Super Bowl, final do campeonato de futebol norte-americano.

Com as pesquisas de intenção de voto mostrando uma disputa acirrada entre Hillary e Trump, a imprensa dos EUA projeta que apenas no país 100 milhões de pessoas devem acompanhar o debate. O Super Bowl de 2015 atraiu 112 milhões de telespectadores. Até agora, o debate presidencial mais visto foi em 1980, entre o republicano Ronald Reagan e o democrata Jimmy Carter, com audiência de 80 milhões apenas no país.

A figura controversa e polêmica do bilionário Donald Trump, que além de empresário e investidor foi apresentador do reality show "O aprendiz", é um dos fatores que devem ajudar a alavancar a audiência do debate, segundo especialistas. Na fase das primárias, os debates entre os pré-candidatos republicanos que lutavam por uma nomeação do partido bateram recorde de audiência para este tipo de encontro por conta de Trump. Outro fator que deve atrair telespectadores é o fato de a fase final da campanha entre democratas e republicanos ter pela primeira vez na história do país uma mulher.

Pesquisa do The New York Times com a rede de televisão CBS mostra que 83% dos eleitores registrados devem assistir o debate hoje. O evento vem tendo ampla cobertura da imprensa dos EUA desde a semana passada, com os jornais e redes de televisão mostrando toda a preparação para o evento. Hillary Clinton, por exemplo, reduziu os compromissos oficiais nos últimos dias para se focar no treinamento para o encontro com o rival republicano.

Uma pesquisa do The Wall Street Journal mostra que 34% dos eleitores afirmam que os três debates presidenciais serão fator essencial para a decisão em quem votar. Além do debate de hoje, haverá mais dois antes das eleições. O próximo será dia 9 de outubro e o último dia 19.

Imprevisível

Uma das dúvidas levantadas por estrategistas políticos da campanha de Hillary e pela própria candidata é como será o comportamento de Trump no encontro, se mais amigável ou mais agressivo, neste último caso capaz de não medir palavras para falar o que pensa. "Eu não sei qual Trump vai aparecer no debate", declarou Hillary em um evento em Nova York.

Na preparação, Hillary tem lido livros sobre Trump, visto debates da fase das primárias e se preparado para questionamentos como o uso de seu email particular para receber mensagens oficiais na época em que foi secretária de Estado dos EUA e sua recente pneumonia. Assessores disseram à imprensa nos últimos dias que Hillary foi alertada até para o risco de surgirem comentários de Trump sobre a infidelidade de seu marido, o presidente Bill Clinton.

O porta-voz da campanha da democrata, Brian Fallon, afirmou que no mesmo debate pode-se ter várias personalidades de Trump. "Por toda a sua falta de substância, o carisma de Trump, como ex-estrela de TV, faz dele um inimigo formidável para um debate. Ele goleou seus rivais nos debates dos republicanos", escreveu Fallon em seu Twitter.

Trump declarou que vai respeitar Hillary Clinton no debate se for respeitado e disse que não tem se preparado tanto para o encontro. O republicano manteve boa parte de sua agenda de compromissos oficiais nos últimos dias. Nos debates entre os pré-candidatos republicanos, Trump não poupou insultos pessoas, fez falsas acusações e até resolveu não aparecer em um dos encontros. O comportamento imprevisível do republicano, destaca o The Wall Street Journal, deixa a preparação de Hillary para o debate de hoje mais difícil.

As últimas pesquisas nacionais mostraram redução da vantagem de Hillary, que ainda segue na liderança, enquanto levantamentos feito em estados essenciais para a disputa, os chamados "swing states", que incluem Flórida, Ohio e Carolina do Norte, tem mostrado disputa ainda mais acirrada. Em Iowa e na Flórida, por exemplo, Trump lidera as pesquisas.

O debate começa às 22h (de Brasília) e terá 90 minutos de duração, sem comerciais. Será dividido em seis blocos de 15 minutos, cada um discutindo um tema, que incluem "Alcançando prosperidade" e "Protegendo a América". O encontro será transmitido ao vivo por várias redes de televisão abertas e fechadas, além de sites como YouTube, Facebook e BuzzFeed.