26°
Máx
19°
Min

Putin suspende acordo sobre descarte de plutônio entre a Rússia e os EUA

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, suspendeu nesta segunda-feira um acordo com os Estados Unidos sobre o descarte de plutônio, que já foi considerado um símbolo da aproximação bilateral. O recuo ocorre em meio a tensões bilaterais sobre a Ucrânia, a Síria e outras disputas.

As divisões entre os outrora rivais da Guerra Fria piorou nas últimas semanas, após o colapso de um cessar-fogo na Síria. Em separado, o Departamento do Estado disse que estava suspendendo os contatos bilaterais com a Rússia sobre a Síria, após a ameaça do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, de suspender contatos por causa de novos ataques contra a cidade de Alepo.

O decreto de Putin diz que a decisão foi tomada diante da "crescente ameaça para a estabilidade estratégica como resultado de ações não amigáveis dos EUA", bem como do fracasso dos norte-americanos em cumprir sua parte no trato.

O acordo, firmado em 2000 e expandido em 2006 e 2010, prevê que Rússia e EUA descartem cada um 34 toneladas de plutônio com grau de enriquecimento que pode servir para o uso em armas, material suficiente para cerca de 17 mil ogivas nucleares. Quando assinada, a iniciativa foi apontada como exemplo de cooperação bem-sucedida na cooperação pela não-proliferação nuclear entre Washington e Moscou.

Um porta-voz de Putin, Dmitry Peskov, disse que a Rússia vinha obedecendo o previsto no acordo "unilateralmente por um longo tempo, mas agora não vê mais essa situação como possível em meio a tensões". No rascunho de uma lei para suspender o acordo enviado ao Parlamento, Putin especificou que o acordo poderia ser restaurado se os EUA reverterem sua decisão de enviar tropas para perto da fronteira russa e recuarem para as áreas onde elas estavam em 2000. Fonte: Associated Press.