28°
Máx
17°
Min

Reino Unido tem robusto plano de contingência, diz Osborne após Brexit

(Foto: Divulgação) - Reino Unido tem robusto plano de contingência, diz Osborne após Brexit
(Foto: Divulgação)

O ministro de Finanças do Reino Unido, George Osborne, procurou hoje acalmar as famílias, empresas e mercados financeiros ao garantir que a economia britânica continua sólida, depois da vitória do Brexit na semana passada.

Osborne, que falou a repórteres antes da abertura da Bolsa de Londres, disse que a economia do Reino Unido está forte e que seus bancos e sistema financeiro são saudáveis.

"O Reino Unido está pronto para enfrentar o que o futuro nos reserva de uma posição de força. Isso porque nos últimos seis anos o governo e o povo britânico trabalharam duro para reconstruir a economia britânica", afirmou Osborne, acrescentando que o país dispõe de um robusto plano de contingência.

O ministro alertou, no entanto, que poderá haver um ajuste na economia, uma vez que as incertezas em torno dos futuros arranjos comerciais do Reino Unido com a União Europeia comprometem gastos e investimentos.

"Como resultado da decisão de quinta-feira, algumas empresas continuam a interromper decisões de investimento ou de contratação. Como disse antes do plebiscito, isso terá um impacto na economia e finanças públicas e haverá necessidade de agirmos para lidar (com a situação)", declarou Osborne.

O ministro defendeu que é preciso aceitar o resultado do plebiscito e atender o desejo do povo britânico. Osborne também assegurou que o Banco da Inglaterra (BoE, o BC inglês) está preparado para ajudar a sustentar a estabilidade financeira.

Na sexta-feira, quando foi anunciado que 51,9% da população britânica votou para que o Reino Unido deixasse a UE, o primeiro-ministro David Cameron anunciou a intenção de renunciar assim que seu Partido Conservador eleger um novo líder. Osborne era tido como um possível sucessor de Cameron, mas sua postura a favor da permanência na UE reduz as chances de que ele se torne o novo premiê, segundo parlamentares e analistas.

Na coletiva de hoje, Osborne disse que o Reino Unido precisa ter "uma visão clara" do acordo que pretende ter com a UE antes de invocar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa, mecanismo pelo qual se iniciará o processo formal de saída do bloco.

"Não serão fáceis os próximos dias. Mas permitam-me ser claro. Não subestimem nossa determinação. Estávamos preparados para o inesperado", afirmou Osborne. Fonte: Dow Jones Newswires.