21°
Máx
17°
Min

Rubio tem vitória fácil em Porto Rico, mas Cruz cresce como alternativa a Trump

O senador pela Flórida Marco Rubio teve uma vitória fácil nas primárias republicanas em Porto Rico neste domingo. Os primeiros resultados da contagem mostram que ele teve cerca de 70% dos votos, o que pode dar a ele todos os 20 delegados dessa etapa da disputa pela indicação do partido para as eleições presidenciais dos Estados Unidos. Ainda assim, republicanos flertam com a ideia de que a melhor alternativa para derrotar o atual líder da corrida, Donald Trump, é o senador pelo Texas Ted Cruz.

"Essa primária em Porto Rico vai demonstrar que o voto hispânico é importante", disse a chefe do Partido Republicano em Porto Rico, Jenniffer Gonzalez. "Os números são impressionantes", disse sobre os resultados de Rubio.

Por outro lado, Trump e Cruz ainda superam significativamente Rubio na contagem de delegados, o que dificulta ainda mais o já estreito caminho do senador pela Flórida rumo à nomeação.

Por meses, líderes republicanos vinham afirmando que nem Trump nem Cruz seriam candidatos capazes de vencer uma candidatura democrata nas eleições de novembro. Mas o medo que a elite republicana tem de Trump pode ser ainda maior que o desdém direcionado a Cruz.

Para o ex-candidato republicano em 2012, Mitt Romney, Cruz tem emergido como o principal nome "anti-Trump". Senador pela Carolina do Sul, Lindsey Graham concorda. À rede de TV NBC, ele afirmou que Cruz "tem o melhor argumento até o momento de que ele pode ser uma alternativa a Trump". Ele considerou que os outros republicanos na corrida, Rubio e o governador de Ohio John Kasich, "têm que decidir entre eles" se são mesmo uma alternativa realista a Trump.

Trump ainda lidera a corrida com 378 delegados, enquanto Cruz tem pelo menos 295. Rubio e Kasich estão bastante atrás na busca pelos 1,237 mil delegados que garantem a indicação republicana. Tanto Rubio como Kasich dependem de uma vitória em seus estados, a Florida e Ohio, no dia 15 de março, para justificar continuarem na disputa.

Em Porto Rico, mais de 30 mil pessoas participaram das primárias. Os residentes da ilha, porém, não podem votar na eleição geral em novembro. O território dos Estados Unidos vive um longo período de estagnação econômica e eleitores nas ruas diziam que queriam um presidente que ajudasse a solucionar a crise. Fonte: Associated Press.