21°
Máx
17°
Min

Rússia alerta EUA que ataque a forças sírias podem repercutir no Oriente Médio

- Rússia alerta EUA que ataque a forças sírias podem repercutir

A Rússia fez um alerta aos Estados Unidos afirmando que qualquer ataque apoiado pelo país contra forças do governo sírio poderão trazer repercussões para todo o Oriente Médio.

De acordo com agências de notícias russas, a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do país Maria Zakharova declarou que uma intervenção de forças norte-americanas contra o exército sírio "conduzirá a terríveis e tectônicas consequências não apenas para o território da Síria, como para a região como um todo".

Zakharova disse ainda que a mudança no regime sírio criaria um vácuo que poderia ser "rapidamente preenchido" por "terroristas de todas as linhas".

As tensões entre Rússia e EUA em torno do conflito na Síria aumentou desde a quebra do cessar-fogo no último mês, quando cada um dos lados culpou o outro pela falta de êxito no acordo. Forças governamentais sírias apoiadas por aeronaves russas têm realizado ataques em regiões controladas por rebeldes no norte da cidade de Aleppo.

Na sexta-feira, autoridades norte-americanas afirmaram que o governo dos EUA continua buscando dialogar com Moscou sobre a crise na Síria, dias após o secretário de Estado do país, John Kerry, ter ameaçado interromper as conversas depois de uma ofensiva de forças militares sírias e russas em Aleppo.

Ontem, o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA Mark Toner declarou também que, apesar da dificuldade de manter o processo diplomático em meio à carnificina, a administração Obama não deseja "fechar as portas definitivamente ainda".

Ainda na sexta-feira, Kerry conversou pela terceira vez, em três dias, com o ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov. O governo norte-americano forneceu poucas informações sobre a conversa. Uma nota do governo russo informou que Lavrov disse a Kerry que Moscou se mantém aberta ao diálogo, segundo a agência de notícias Interfax.

Em entrevista à BBC que foi ao ar ontem, Lavrov reiterou as queixas da Rússia de que os Estados Unidos teriam falhado em separar rebeldes oposicionistas apoiados por Washington de membros da Frente de Conquista da Síria, até então conhecida como Frente Nusra, afiliada à Al Qaeda.

Na quarta-feira, Kerry havia alertado Lavrov, por telefone, de que os EUA poderiam interromper as negociações com a Rússia sobre a Síria caso Moscou não adotasse medidas imediatas para retomar o cessar-fogo e permitir a passagem de ajuda humanitária para a região de Aleppo. Fonte: Associated Presse e Dow Jones Newswires.