24°
Máx
17°
Min

Sanders condena impeachment de Dilma e pede por ação dos EUA

Senador pelo Estado de Vermont e ex-pré-candidato democrata para a corrida presidencial dos Estados Unidos, Bernie Sanders se disse preocupado com os esforços para o impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, e pediu por ação dos americanos em um comunicado divulgado nesta segunda-feira, em sua página na internet.

"Estou profundamente preocupado com os esforços para remover a presidente democraticamente eleita do Brasil, Dilma Rousseff", escreveu Sanders. "Para muitos brasileiros e observadores, o processo controverso de impeachment mais se parece com um golpe de Estado".

No comunicado, Sanders ainda afirma que o processo de impeachment da presidente afastada tem justificativas "dúbias" e critica as medidas tomadas pelo presidente em exercício, Michel Temer, que "extinguiu o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos". "A nova administração, que não foi eleita, rapidamente anunciou planos para impor austeridade, aumentar a privatização e instalar uma agenda social de extrema direita".

Na visão de Sanders, o esforço para impedir Dilma "não é um julgamento legal, mas sim político". "Os Estados Unidos não podem sentar em silêncio enquanto as instituições democráticas de um dos nossos mais importantes aliados são minadas", disse. "Temos que nos levantar pelas famílias de trabalhadores do Brazil e exigir que essa disputa seja resolvida com eleições democráticas". (Matheus Maderal - matheus.maderal@estadao.com)