22°
Máx
17°
Min

Talibã continuará com estratégia de violência com novo líder, diz Obama

O presidente Barack Obama disse nesta quinta-feira que não espera que o novo líder do Talibã direcione o grupo para conversas de paz com o governo do Afeganistão, um acordo, que segundo Obama, deve demorar anos.

Obama falou em coletiva de imprensa na cúpula do G7, indicando que Maulavi Haibatullah não é diferente de seu antecessor, Mullah Akhtar Mansour, que foi morto na última semana por um drone norte-americano.

"Eu não estava esperando que um democrata liberal fosse apontado como o novo líder do Talibã", disse Obama, que complementou: "Continua a ser uma organização que enxerga a violência como estratégia para conseguir seus objetivos".

A declaração de Obama vem após algumas conversas de oficiais norte-americanos, que demonstraram esperança de que a troca na liderança do Talibã poderia causar divisões e, assim, enfraquecer o grupo em alguns meses. Os Estados Unidos apoiam conversas de paz entre o Talibã e governo afegão, mas Obama acredita que o diálogo será longo.

"Minha esperança, embora não seja a minha expectativa, é de que chegue um ponto em que o Talibã reconheça que não será capaz de invadir o país e de que é preciso entrar em sérias conversas de reconciliação, lideradas pelos afegãos", disse Obama. "Mas eu duvido de que isso irá acontecer tão cedo". "No curto prazo, nós acreditamos que o Talibã continuará a aplicar sua agenda de violência", falou o presidente dos Estados Unidos. Fonte: Dow Jones Newswire.