23°
Máx
12°
Min

Trump direciona críticas a Hillary e diz que avaliação de Sanders pode ajudá-lo

O favorito à indicação do Partido Republicano para candidatura à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump voltou a dizer que a pré-candidata do Partido Democrata Hillary Clinton só está na disputa presidencial por ser mulher. Ele argumentou que as críticas de Bernie Sanders, que disputa com Hillary a nomeação do Partido Democrata, vão ajudá-lo na disputa. "O que Bernie Sanders disse foi muito pior do que o que eu disse e eu vou usar isso", assinalou Trump, em entrevista ao programa "Fox News Sunday". Sanders questionou as qualificações de Clinton para ser presidente e mais tarde se retratou dessas observações. "É uma crítica contundente", afirmou Trump.

A mudança de assunto reflete a convicção de Trump que a corrida para a nomeação presidencial republicana essencialmente terminou, com os rivais do Partido Republicano Ted Cruz e John Kasich incapazes de ultrapassar a quantidade de delegados de Trump. Contudo, o empresário está aquém dos 1.237 delegados necessários para selar a indicação. Ganhando ou perdendo a primária de Indiana na terça-feira, Trump já está focado em um confronto na eleição geral contra Hillary. Ele prevê um confronto de seis meses que poderia ser focado, substancialmente, em política de gênero e detalhes pessoais. Hillary disse que "não poderia se importar menos" com o que Trump diz sobre ela.

Mesmo se concentrando na eleição geral, Trump estava entre os candidatos a cortejar os eleitores de Indiana neste domingo, com 57 delegados republicanos em jogo. Hillary também estava fazendo campanha no Estado.

Os demais pré-candidatos enfrentavam perguntas sobre por que ainda estão na disputa. "É difícil, não é impossível", disse Sanders no programa "Face the Nation", da rede de TV CBS, sobre o desafio cada vez mais difícil de vencer Clinton.

Cruz não estava se rendendo à matemática dos delegados, mesmo depois de uma semana difícil, em que o ex-presidente da Câmara John Boehner o chamou de "Lúcifer em carne e osso". Cruz destacou em vários programas que o governador de Indiana, Mike Pence, e o ex governador da Califórnia Pete Wilson o apoiaram e que Trump não consegue o apoio da maioria dos republicanos. "Nós vamos até o fim", disse Cruz, no programa "This Week", da rede de TV ABC. "Estamos indo para Cleveland, e será uma convenção disputada." Fonte: Associated Press.