27°
Máx
13°
Min

Trump diz que unidade em partido seria boa, mas não é essencial

Com um número crescente de membros do Partido Republicano se recusando a um alinhamento com Donaldo Trump, o empresário considerou que a sua nomeação como o candidato à presidência dos Estados Unidos pelo partido não precisa ser um consenso.

"Eu acho que seria melhor se fosse algo unificado, acredito que haveria algo de bom nisso", disse Trump em uma entrevista à rede de TV ABC transmitida nesse domingo. "Mas eu não acho que precisa ser uma unidade no sentido tradicional", acrescentou.

George H.W. Bush e seu filho, George W. Bush, os únicos ex-presidentes republicanos ainda vivos, disseram que não apoiariam a candidatura de Trump. Os ex-rivais de Trump pela indicação, o governador da Florida Jeb Bush e o senador da Carolina do Sul Lindsey Graham, estão entre os que também afirmam que não planejam apoiar Trump.

Trump diminuiu o peso de uma unidade interna do partido enquanto continuou a atacar a democrata Hillary Clinton, a quem ele tem chamado de "Hillary Trapaceira".

O empresário voltou a lembrar a infidelidade do ex-presidente Bill Clinton, uma prévia de como ele pode responder a ataques futuros de Hillary e seus aliados sobre o tratamento dado a mulheres.

"Ela é casada com um homem que foi o pior abusador de mulheres na história política", disse Trump no sábado durante discurso a eleitores. Ele reclamou de uma cultura politicamente correta segundo a qual, de acordo com ele, os homens "ficam petrificados de falar com mulheres". Trump se declarou um grande apoiador das mulheres e procurou diminuir comentários feitos no passado. Fonte: Associated Press.