28°
Máx
17°
Min

UE e Turquia chegam a acordo e devolução de imigrantes deve começar em breve

(Foto: GEOFFROY VAN DER HASSELT /ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO) - UE e Turquia chegam a acordo e devolução de imigrantes deve começar em breve
(Foto: GEOFFROY VAN DER HASSELT /ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

A União Europeia (UE) e a Turquia chegaram a um acordo para aliviar a crise de imigrantes que chegam na Grécia, informou o primeiro-ministro da República Tcheca, Bohuslav Sobotka, em seu twitter. Em troca, a Turquia terá mais abertura com a UE e ajuda financeira. O primeiro-ministro da Finlândia, Juha Sipilä, também twitou que o acordo tinha sido fechado.

"O acordo com a Turquia foi aprovado. Todos os imigrantes ilegais que chegarem à Grécia partindo da Turquia, serão devolvidos a partir de 20 de março", disse Sobotka.

O acordo, que prevê enviar de volta à Turquia os migrantes que chegarem à Grécia a partir da costa turca, foi apresentado aos 28 líderes do bloco. Detalhes da versão final do texto ainda não foram divulgados, pois o documento ainda precisa ser oficialmente assinado pelo primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu.

Davutoglu disse que a principal preocupação de Ancara é o destino de quase 3 milhões de refugiados sírios em seu território. Para isso, ele tinha pedido uma ajuda no total de 6 bilhões de euros. Ao mesmo tempo, ele buscava mais aproximação do bloco, como a concessão de vistos para seus cidadãos e a adesão do país na UE.

O acordo limita que 72 mil refugiados se reinstalem na Turquia. Se os refugiados continuarem cruzando para a Grécia ilegalmente depois dos 72 mil reassentamentos, o acordo deverá ser cancelado e novas medidas terão que ser decididas, disse uma autoridade da UE.

Complicações práticas e jurídicas ainda permanecem em torno do direito internacional dos refugiados. Dúvidas surgem, por exemplo, como a Grécia implantaria milhares de autoridades nas ilhas para dar a cada imigrante a possibilidade de apresentar seu pedido de asilo, organizar entrevistas, criar condições de habitação decente e organizar o retorna à Turquia para garantir que o programa está em conformidade com o direito internacional dos refugiados.

Além disso, alguns líderes da UE têm se preocupado com a data de início do acordo, dizendo que ela poderia criar uma renovada onda de imigrantes que cruzam para a Grécia, numa tentativa de chegar antes da data do início.

O plano da Turquia é o mais recente esforço para encerrar a crise. Este ano, cerca de 145 mil imigrantes viajaram da Turquia para a Grécia. Mais de 350 pessoas morreram durante o percursos, informou a Organização Internacional para as Imigrações. Atualmente, a Turquia abriga 2,7 milhões de imigrantes sírios. Fonte: Dow Jones Newswires.