28°
Máx
17°
Min

Vice-primeira-ministra sueca renuncia, em mais um revés para o governo

(Foto: Divulgação) - Vice-primeira-ministra sueca renuncia, em mais um revés para o governo
(Foto: Divulgação)

A vice-primeira-ministra da Suécia, Ana Romson, anunciou que pretende renunciar ao cargo após perder o apoio de seu partido, o Partido Verde. Romson, que também ocupa o cargo de ministra do Clima e do Ambiente, emitiu o comunicado nesta segunda-feira depois de a legenda propor a sua substituição pela atual ministra da Cooperação para o Desenvolvimento, Isabella Lovin.

A decisão final do Partido Verde, porém, deve sair na próxima sexta-feira, quando haverá uma conferência do partido - que busca se recuperar de quedas nas pesquisas de opinião pública. O comitê de nomeação do partido expressou apoio à continuidade de Gustav Fridolin, ministro da Educação, como o outro vice-líder do Partido Verde. A legenda tem a prática de sempre nomear dois líderes, um homem e uma mulher. Recentemente, ambos vieram a público criticar alguns reveses do governo e, por isso, a cúpula do partido concluiu que Romson deixou de apoiar a legenda, enquanto que Fridolin ganhou confiança para continuar no cargo.

A renúncia de Romson é mais um baque para o primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, que lidera o Social Democrata, maior dos dois partidos do governo de coalizão. Desde que ganhou as eleições em 2014, Lofven vem enfrentando dificuldades para manter a autoridade no país.

A saída de Romson é a segunda de um membro do Partido Verde dentro de um mês. Mehmet Kaplan, ex-ministro da Habitação, renunciou em abril após participar de um evento em que um partido extremista turco estava presente.

Caso o Partido Verde decida que o custo político de permanecer no governo seja muito alto e queira se retirar da coalizão, o primeiro-ministro terá de decidir se permanece no comando com uma pequena parcela de apoio no Congresso até 2018 ou se convoca uma nova votação em busca de maior apoio. Fonte: Dow Jones Newswires.