22°
Máx
14°
Min

Acim solta nota de repúdio à nomeação de Lula e convoca protesto

(Foto: Divulgação/Acim) - Acim solta nota de repúdio à nomeação de Lula e convoca protesto
(Foto: Divulgação/Acim)

A Associação Comercial e Industrial de Maringá (Acim) emitiu uma nota de repúdio à nomeação do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil. A entidade ainda convocou um protesto para o início da tarde desta quinta-feira (17), às 13h, em frente à Justiça Federal de Maringá, na esquina da Avenida XV de Novembro com a Avenida Duque de Caxias.

Na mensagem que foi disseminada nas redes sociais, a Acim declara ser contra “acordões para garantir foro privilegiado”. “Estamos fartos de impunidade. Estamos fartos da classe política tomar decisões contrárias ao clamor popular. Estamos fartos de corrupção. Estamos fartos de ilegalidade. Estamos fartos de desvios de recursos. Não queremos tentativas de obstrução da Justiça”, diz a mensagem.

O primeiro protesto contra a nomeação de Lula previsto em Maringá nesta quinta-feira foi frustrado. Havia uma mobilização marcada às 9h, em frente à Catedral, mas não houve participação.

Íntegra da nota de repúdio da Acim

A ACIM - Associação Comercial e Empresarial de Maringá tem francamente apoiado as investigações contra a corrupção, independente do nível de gestão pública ocorra, nunca importando a cor partidária. A transparência na gestão, assim como o comportamento ético em todos seus atos, promove a credibilidade para os líderes políticos proporem e executarem suas funções. Estamos em um momento crítico para toda a sociedade. A credibilidade das lideranças políticas tem sido abalada com as descobertas e depoimentos de conteúdo estarrecedores.
 No último dia 13 de março as mobilizações em nível nacional foram muito firmes e pacíficas, com conteúdo voltado no apoio às investigações da Justiça e Polícia Federal, em especial ao juiz Sergio Moro e sua equipe, além de gritos de "Fora Dilma", "Fora Lula", "Fora Cunha", "Fora Aécio", "Fora Renan" etc. Essas manifestações têm claramente uma postura de apoio à punição dos corruptos, qualquer que seja o partido.
 Nos deixa perplexos que, em meio a esse contexto de comoção popular com o rumo das investigações, testada e ampliada pelas mobilizações populares, a Presidente Dilma resolve nomear como Ministro da República o ex-presidente Lula, o maior pivô das investigações nesse momento. Não discutindo a legalidade dessa nomeação, mas considerando o grau de responsabilidade e representatividade do cargo de Ministro, que exige moralmente um grau de credibilidade indiscutível, já seria temerária essa nomeação. Isso se agrava demasiadamente quando se acrescentam as hipóteses de que a função dessa nomeação seja dar foro privilegiado ao ex-presidente.
 Uma decisão com tamanho impacto na opinião pública e nos rumos do país deveria ter sido melhor avaliada pelo Poder Executivo Federal, que demonstra estar alheio ao clamor das manifestações. Considerando esse posicionamento, a ACIM vem publicamente demonstrar repúdio a essa nomeação e pede o reestabelecimento dos valores morais e éticos que devem nortear a gestão pública.